Universidade tem eleição online

Publicação: 2014-11-11 00:00:00
Cerca de 35.488 estudantes, 2.183 professores e 3.138 servidores técnicos devem votar para eleição de reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), realizada hoje (11). A eleição  ocorrerá, exclusivamente pela internet, através do Sistema Integrado de Gestão de Eleições (SIGEleição), usado pela primeira vez em uma eleição para reitor no Brasil.

Esse sistema foi desenvolvido pela Superintendência de Informática da UFRN- SINFO,  e já foi utilizado em cerca de 300 pleitos internos da academia, entre eles o do Diretório Central dos Estudantes-DCE. A eleição eletrônica foi aprovada pelo Conselho Universitário (CONSUNI),  órgão máximo da universidade que tem funções deliberativas, normativa e de planejamento.

A eleição acontece a partir das 7h30 de hoje e se estenderá até as 22h30. Os eleitores devem acessar o endereço eletrônico sigeleicao.ufrn.br  , colocar o login e senha do SIGAA (Sistema Integrado Gestão e Atividade Acadêmicas) e selecionar o pleito de reitor. O eleitor será direcionado à uma espécie de urna digital onde poderá realizar o seu voto em uma das chapas concorrentes.
Votação pode ser feita através de qualquer dispositivo com acesso a internet
Por ser uma eleição digital , o pleito desse ano não produziu material gráfico de campanha como panfletos, cartazes e bottons, se concentrando apenas nas mídias sociais , blogs e sites das chapas. A eleição digital também permitiu a participação dos vários alunos que estão no exterior o que vai ocasionar uma maior participação da comunidade acadêmica.

O sistema passou por diversos testes de segurança e em todas as eleições em que  foi utilizado não houve reclamação por parte dos usuários. Segundo a Gerente de Projeto da SINFO, Clarissa Lorena, o sistema é seguro e passa por diversos testes de seguranças realizados por uma equipe de qualidade de Softwares.

O SIGEleição é utilizado apenas pela UFRN, e já está em fase de comercialização para ser utilizado em outras universidades que já utilizam outros sistemas desenvolvido pela UFRN.

As chapas que concorrem ao pleito são a da atual gestão, composta pela reitora Ângela Maria Paiva, que tenta reeleição pela chapa 2 , “Avanços e Desafios”, e tem o professor José Daniel Diniz Melo, como vice.  A outra chapa (“Alma Mater UFRN” ) é formada pelo professor Carlos Chesman de Araújo Feitosa e tem como vice o professor Rubens Eugênio. 

Bate-papo - Ângela Paiva
Atual reitora e professora do Departamento de Matemática

“Temos que buscar sempre o crescimento com qualidade”

Professora, quais são as principais propostas de campanha da sua chapa?
Nossa diretriz maior é avançar na qualidade acadêmica, buscando a excelência  em várias áreas da universidade e também aperfeiçoar processos de trabalho dentro de uma universidade que cresceu muito. Nós queremos trabalhar o fortalecimento dos campi do interior com a mesma estrutura do campus central. Ampliar o restaurante universitário aqui de Natal e construir restaurantes nos campi de Caicó e Currais Novos.

Na questão da pesquisa, da extensão e do ensino, vamos ampliar as pós-graduações do interior. Vamos expandir cursos para esses campi, como já fizemos com medicina.

Na infra-estrutura da universidade, os ambientes de convivência, a questão da mobilidade urbana dentro campus, que cresceu tanto, é uma das nossas propostas.  Vamos aproximar a universidade das empresas, pois elas precisam de pesquisa e nós precisamos delas para desenvolver os produtos que nós criamos.

Temos também a questão da assistência estudantil que precisa ser forte para garantir cada vez mais que tenhamos uma universidade de muita qualidade.
 
Quais os principais desafios da futura administração?
É buscar sempre o crescimento com a qualidade da administração pública. Temos trabalhos feitos dentro da universidade para aperfeiçoar processos de compras. Tem uma luta externa junto ao Ministério da Educação e da Ciência e Tecnologia para buscar fomentos para ações dentro da UFRN. Um desafio importante é trabalhar com o governo federal para alcançar as metas do Plano Nacional da Educação.

Bate-papo - Carlos Chesman
Professor do Departamento de Física

“É preciso manter o diálogo com os alunos”

Professor quais são as principais propostas de campanha?
No nosso programa temos cinco pontos básicos, mas o principal é o ponto um que é base de tudo, que é reestruturar a universidade nos moldes do que é uma universidade moderna e universal. Vamos redefinir o papel  do conselhos administrativos  que têm que ser deliberativo e formado por pessoas que não tenham  interesso imediato com a administração.

Outro ponto é a falta de transparência da gestão atual, onde nós vivemos no século XXI , temos várias tecnologias para apresentar esse tipo de coisa, mas na nossa UFRN não temos essa transparência.

Nós propomos na questão de mobilidade a criação do passe livre universitário, que vai reduzir o uso do transporte popular,  a poluição  e trazer mais saúde e melhorar o trânsito . Instituir o centro do campus como algo do pedestre do ciclista, já que as ruas do campus foram construídas estreitas para o uso de pedestre não de carros. O próprio campus foi criado com a máxima das pessoas caminharem  e os estacionamento ao redor desse anel viário.

Quais os principais desafios para a futura gestão?
Na nossa universidade o principal desafio é atrelado às ações, onde é preciso abrir o diálogo. Nós vemos os estudantes invadindo a reitoria, fazendo protestos, os funcionários também fazendo protestos contra a criação de uma empresa. Então, nitidamente, esse diálogo da UFRN com os estudantes não está sendo efetivado. 

É preciso manter o diálogo, abrir uma constituinte para a universidade discutir esses pontos de universidade  mais democrática, mais participativa e com maior transparência. 

Leia também: