Cookie Consent
Natal
Vacina contra a Covid-19 deve chegar ao RN até o dia 31
Publicado: 00:00:00 - 09/01/2021 Atualizado: 00:20:12 - 09/01/2021
Luiz Henrique Gomes
Repórter

O Rio Grande do Norte deve receber as primeiras doses da vacina contra a Covid-19 até o dia 31 de janeiro, segundo a governadora Fátima Bezerra anunciou nesta sexta-feira (8) em reunião com os prefeitos dos municípios potiguares. Os envios das doses dependem do Ministério da Saúde, mas o governo estadual garantiu que, uma vez que as vacinas cheguem ao estado, a campanha de imunização deve começar em todos municípios até 72 horas depois.

ROBSON ARAÚJO
Fátima Bezerra e Cipriano Maia alinharam ações para imunização contra a covid com prefeitos

Fátima Bezerra e Cipriano Maia alinharam ações para imunização contra a covid com prefeitos


Segundo a governadora, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) está preparada para a primeira fase da vacinação com um estoque de 900 mil seringas e espaço estrutural de insumos. Nessa primeira etapa, devem ser vacinados profissionais de saúde, idosos acima de 75 anos, pessoas com 60 anos ou mais que estejam em instituições de longa permanência, população indígena e povos e comunidades tradicionais ribeirinhas.

O Estado aguarda a definição do Ministério da Saúde sobre o envio das doses da vacina. Na noite da quinta-feira (7), o Ministério assinou um contrato de 46 milhões de doses da vacina Coronavac do Butantan, sendo 8 milhões na primeira fase de vacinação. Para a governadora Fátima Bezerra, esse contrato – após a notícia da eficácia da Coronavac – dá mais certeza sobre o início da vacinação. “Fui dormir esperançosa depois de ver os resultados do Butantan e a notícia do contrato de 46 milhões de doses pelo Ministério da Saúde”, declarou a governadora.

Na reunião desta sexta-feira, o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, destacou que o Estado depende da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para organizar o cronograma de vacinação, mas que as fases já estão estabelecidas. Para a primeira fase, está prevista a aplicação de 239.636 doses do imunizante. Na segunda fase, 328.236 pessoas entre 60 e 74 anos devem ser vacinadas. E, na última fase, a vacina é destinada para 186.439 pessoas com comorbidades.

Os demais grupos prioritários serão vacinados nas demais fases. A estimativa populacional está em atualização pelo Ministério da Saúde para avaliação de qual fase esses grupos estarão inseridos, de acordo com o cenário de disponibilidade de vacinas e estratégias de vacinação. Segundo o governo estadual, estão inseridos nesses grupos a população em situação de rua, trabalhadores da educação, pessoas com deficiência severa, membros das forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema de privação de liberdade, trabalhadores do transporte coletivo, transportadores rodoviários de carga e população privada de liberdade. Mais dois milhões de seringas estão em processo de aquisição para possibilitar o andamento dessas fases. 

Responsabilidade
Na reunião desta sexta-feira, Fátima ainda afirmou que os municípios são os responsáveis para pôr em prática a vacinação, mas que o Estado vai apoiar com a distribuição do imunizante, dos insumos e qualificação das equipes. O imunizante vai ser distribuído para cidades-polos em todas as regiões do Estado e a partir daí ser coletada pelos municípios, que devem aplicar em suas unidades de saúde.

Governo pede suspensão de eventos
A governadora Fátima Bezerra pediu aos prefeitos dos municípios potiguares a suspensão de eventos e festas no veraneio em curso para evitar aglomerações e o aumento do contágio do novo coronavírus. O apelo foi feito nesta sexta-feira (8), durante a reunião da governadora com os prefeitos e secretários municipais de saúde sobre o plano de imunização estadual do Rio Grande do Norte.

Para a governadora, o pedido é feito no momento em que o início da vacinação está próximo, mas que a pandemia ainda existe. “Sigam as recomendações do Ministério Público [do Rio Grande do Norte] para suspender eventos e fiscalizar o cumprimento de protocolos sanitários. É muito importante que estejamos seguros nessa reta final, com a vacinação cada vez mais próxima”, declarou Fátima Bezerra.

O secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, também destacou a necessidade das medidas de distanciamento social até haver um cenário mais seguro da pandemia. Ele disse que o Rio Grande do Norte depende da autorização da Anvisa e da chegada das vacinas para organizar o cronograma, que já está com fases estabelecidas. “Até lá, temos uma longa travessia que necessita a manutenção dos cuidados", declarou Maia.

MP acelera processo de vacinação
O Ministério da Saúde detalhou, nesta semana, a Medida Provisória (MP) nº 1.026 de 06 de janeiro de 2021, que dispõe sobre os processos de compra de vacinas, insumos, bens e serviços de logística para a campanha de vacinação contra a Covid-19. Os esclarecimentos foram dados em coletiva de imprensa realizada no Palácio do Planalto com a presença do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, do secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, do secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros, e do secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos, Hélio Angotti Neto. 

Na apresentação, os secretários da pasta explicaram que a normativa, assinada pelo presidente da República, autoriza a aquisição de vacinas e de insumos destinados à vacinação contra a Covid-19, inclusive antes do registro sanitário ou da autorização temporária de uso emergencial por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), até mesmo com dispensa de licitação.

Além disso, a aplicação dos imunizantes deverá seguir o Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19, elaborado pelo Ministério da Saúde. O início da vacinação ocorrerá após a autorização temporária de uso emergencial ou o registro de vacinas concedidos pela Anvisa.

A MP também permite que a Anvisa conceda autorização excepcional e temporária para importação e distribuição de vacinas contra a Covid-19, materiais, medicamentos ou insumos, se o material tiver sido registrado e autorizado para distribuição por, no mínimo, uma das seguintes autoridades internacionais, em seus respectivos países:

à Food and Drug Administration - FDA, dos Estados Unidos da América;
à European Medicines Agency - EMA, da União Europeia;
à Pharmaceuticals and Medical Devices Agency - PMDA, do Japão;
à National Medical Products Administration - NMPA, da República Popular da China; e
à Medicines and Healthcare Products Regulatory Agency - MHRA, do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte. 











Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte