Vacinas antirrábicas estão disponíveis no Centro de Zoonoses

Publicação: 2017-10-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A Secretaria Municipal de Saúde realizou, neste sábado (7), o Dia D da vacinação antirrábica, mas quem tem cães e gatos em casa e perdeu a campanha pode levar os animais até o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), na zona Norte de Natal, até o dai 18 próximo. Quem tiver três ou mais animais, pode agendar uma visita da equipe do CCZ para que a vacinação seja feita na residência.
Cães e gatos com mais de três meses devem ser imunizados. Meta da SMS é vacinar 14 mil animais
Cães e gatos com mais de três meses devem ser imunizados. Meta da SMS é vacinar 14 mil animais (foto: Alex Régis)

Com a campanha deste sábado, a expectativa dos coordenadores do Centro era de que 14 mil animais fossem vacinados. No fim da manhã, 40% de cães haviam sido vacinados e 45% dos gatos. A gerente técnica do Centro de Zoonoses de Natal, Ursula Torres esteve no centro de vacinação de Candelária, na zona Sul da capital e acompanha as ações. Ela falou da importância da vacina para evitar a doença não só nos bichos, mas também em humanos.   “Essa vacina é fundamental para continuarmos sem registros de raiva em humanos e cães e gatos em Natal ”, frisou Ursula Torres.

O técnico em enfermagem, Daniel Soares, levou a cadelinha “Safira”, para se vacinar. Com 5 anos de idade, a cadelinha é vacinada todos os anos, segundo Daniel. “É uma medida muito importante pra prevenir que ela fique doente. Tenho outra cadela em casa e pretendo trazer para vacinar também”, disse o técnico.

A abertura do evento aconteceu  na unidade básica de saúde de Candelária, a partir das 8h. No total, 630 servidores da SMS, além de 40 voluntários inscritos no CCZ, participarão da ação.

A recomendação da Secretaria Municipal de Saúde é de que somente sejam imunizados cachorros e gatos com mais de três meses. Animais doentes ou fêmeas que estejam prenhes não devem ser imunizados até que estejam saudáveis ou tenham dado cria. Os cachorros devem ser transportados com guias e os mais ferozes devem estar de focinheira. Gatos devem ser levados em caixas específicas ou presos adequadamente.

No RN, o último caso de raiva humana ocorreu em 2010, mas são registrados, anualmente, em média 27 casos de raiva animal diagnosticados laboratorialmente. O caso de raiva humana de 2010 teve como animal transmissor um morcego, animal que é o mais acometido pela doença (52,82%). Em 2016, dos 14 casos diagnosticados no estado, 10 ocorreram em morcegos.

Sintomas

O animal apresenta dificuldade para engolir água e alimentos, alta salivação, mudança repentina no comportamento. Os cães, têm o latido diferente, podendo parecer um "uivo rouco"; e os morcegos podem ser encontrados durante o dia, em hora e locais não habituais.

Serviço

Centro de Controle de Zoonoses
Av. das Fronteiras, 1526
Contato: (84) 3232-8237


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários