"Vamos entregar bons aeroportos"

Publicação: 2011-08-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Vicente Estevam - Repórter de Esportes

O ministro do Esporte Orlando Silva continua falando com otimismo em relação a Copa do Mundo de 2014. Isso ocorre mesmo com as cidades-sede apresentando os mais diversos tipos de problemas para cumprir o cronograma traçado pela Fifa e pelo Comitê Organizador Local (LOC). Com relação a capital potiguar, ele acredita que o ponto de maior dificuldade foi ultrapassado com a realização da licitação para construção da Arena das Dunas, além disso, confirmou depositar muita confiança no trabalho da governadora Rosalba Ciarlini e no da prefeita Micarla de Sousa, que prometeram muito empenho para superar as adversidades encontradas para vencer os processos burocráticos e, enfim, dar início aos projetos de mobilidade urbana previstos para serem desencadeados. Quanto aos aeroportos, Orlando Silva ressaltou que é promessa do governo brasileiro entregar à Fifa terminais de passageiros prontos para o uso.

Como está sendo feito o controle dos projetos realizados em Natal? Nas conversas com as autoridades é cobrada agilidade?

A partir da definição dos projetos e da assinatura dos anexos da Matriz de Responsabilidades - garantias e compromissos pactuados entre o Governo Federal, os estados, municípios e o Distrito Federal, iniciou-se a fase de monitoramento das etapas dos projetos. Com base nas informações fornecidas pelos responsáveis pelos projetos, são realizados ciclos de monitoramento dos compromissos assumidos na Matriz de Responsabilidades sob método similar ao adotado pelo Programa de Aceleração do Crescimento – PAC e conduzidos pelo GECOPA (Grupo Executivo da Copa), com envolvimento das cidades-sede, órgãos de financiamento e outros agentes, como a Infraero e a Secretaria de Portos da Presidência da República. Nesses ciclos de monitoramento, as informações recebidas são analisadas e, caso sejam identificados pontos de atenção, são definidas ações preventivas e/ou corretivas.
 
As informações chegam com exatidão?

Para garantir troca de informações corretas e sistemáticas entre os responsáveis pelos projetos e o GECOPA, entrou em funcionamento em maio de 2010 o Sistema de Monitoramento da Copa (SMC), ferramenta disponível via web baseada em formulários com dados dos projetos acompanhados, alimentados pelos interlocutores responsáveis pelos projetos. O processo de monitoramento dos projetos prevê atuação local e realização de análise crítica da evolução dos empreendimentos. O andamento de obras e projetos é discutido periodicamente pela equipe técnica de monitoramento do Ministério do Esporte com cada cidade. A presidenta Dilma Rousseff também já se reuniu com todos os prefeitos e governadores para avaliar o andamento das obras e reforçar a necessidade do cumprimento dos prazos. No caso de Natal, existem duas obras de mobilidade urbana previstas e que estão sendo executadas pelo governo local. O Ministério das Cidades, por meio da Secretaria Nacional de Programas Urbanos também monitora o andamento em parceria com a Caixa Econômica Federal.

Quais os pontos que mais preocupam o Ministério do Esporte em relação ao atraso nos projetos natalenses?

O ponto mais delicado era o caso da construção do Estádio. Entretanto, com a licitação finalizada e o consórcio definido, acreditamos que daqui para frente não serão medidos esforços para cumprir os prazos acordados com a FIFA, ainda na candidatura.

Em caso de impossibilidade de realização dos projetos de mobilidade urbana, o governo federal pode decretar de feriado no dia dos jogos?

Não há qualquer definição sobre decretação de feriados.

Ainda não foi definido o preço dos ingressos para os jogos da Copa, embora diante dos projetos executivos já possa se saber a capacidade de cada estádio. Qual o motivo da demora. Nós teremos preços especiais nas cidades menos desenvolvidas?

O preço dos ingressos é de responsabilidade da FIFA.

É pensamento ou existem planos de combinar com a CBF a realização de jogos da Seleção Brasileira, no período pré-Copa, em algumas cidades do NE?

O Ministério do Esporte não possui nada oficial a este respeito.

Qual e a importância de Natal para Copa do Mundo?

A cidade de Natal passou por um processo de modernização e crescimento muito grande nos últimos anos, além de ser um importante pólo turístico do país. As opções de prática de esportes, especialmente náuticos e aquáticos, são fantásticas, além de terem apresentado um excelente projeto na candidatura das cidades. Assim, será uma grande oportunidade para divulgarmos melhor a capital para os próprios brasileiros e para o público internacional.

A Fifa sempre deixa claro que se for necessário cortar alguma cidade-sede, ela o fará. Até onde vai o poder de barganha do governo brasileiro para evitar que isso ocorra?

A decisão sobre o número de cidades-sede e quais seriam elas é da FIFA. O governo federal busca trabalhar em sintonia com as cidades-sede para que todas estejam preparadas para abrigar os jogos em 2014, cumprindo todas as garantias estabelecidas quando da captação do evento para o Brasil.

Alguns críticos chegaram a defender que a Copa deveria ser realizada inteira na região Nordeste, o senhor é simpático a essa ideia?

O Brasil é um país muito grande, com dimensões continentais, e temos inúmeras riquezas culturais. A Copa é uma oportunidade fantástica de divulgarmos tudo isso, além de um excelente impulso econômico. O Nordeste é uma região fundamental para o país, e está muito bem representada – é a região que tem mais cidades-sede, quatro ao todo. Mas a idéia de a Copa abraçar todas as regiões dará ao mundo a idéia da nossa diversidade, das boas oportunidades de desenvolvimento e investimento nas diversas regiões do país.

Quando é que o Ministro do Esporte pensa em vir a Natal. Existe alguma visita oficial para tratar de Copa do Mundo?

No início deste ano, visitei todas as cidades-sede para tratar de assuntos referentes à Copa do Mundo. Há a intenção de realizar outras visitas à cidade, entretanto, sem data confirmada.

Os estados que estão sendo apontados como possíveis “criadores de elefante branco” terão algum tipo de incentivo do governo federal na busca por grandes espetáculos?

Os estádios, segundo a matriz de responsabilidades, é obra que cabe às cidades-sede. Ter arenas multiuso de qualidade é uma grande oportunidade para sediar outros grandes eventos, inclusive internacionais, que podem trazer recursos econômicos e gerar empregos nas cidades. Como este é um tema das cidades, elas devem ter um plano de gerenciamento das novas arenas que leve em conta esta grande oportunidade.
 
O governo federal está querendo terceirizar alguns aeroportos importantes (Brasília, Guarulhos e Viracopos) até o fim desse ano, mas o setor privado acredita que seria melhor fazê-lo em  2012. Isso pode atrapalhar os planos brasileiros para Copa?

Não, a concessão é privada e a empresa ou concessionário participa da licitação se quiser, é voluntário. A Copa do Mundo tem um programa de investimentos de R$ 5,5 milhões para melhoria dos aeroportos e esse programa vai acontecer independente de concessão. O que a presidenta Dilma quer, abrindo as concessões, é estimular mais a competitividade da Infraero e melhorar a qualidade de serviços nos aeroportos, não pensando apenas na Copa do Mundo, mas na melhor oferta de serviços à população brasileira. É claro que o plano de investimentos da Infraero, que inclui investimentos em Brasília, Campinas e Guarulhos/São Paulo será mantido independente de qualquer coisa.

Ministro num café da manhã com o secretário-geral da Fifa, ele levantou a questão da Fifa poder realizar uma Copa com oito sedes, mas não em tom de ameaça. O senhor vê alguma cidade com dificuldades para acompanhar o ritmo das outras e que pode vir a ser cortada?

Eu não trabalho com a hipótese de excluir qualquer cidade da Copa do Mundo, ao contrário disso trabalho vendo a possibilidade de todas elas cumprirem com aquilo que está acordado, o que está estabelecido. Trabalho com o cenário de que as 12 cidades vão sediar o Mundial, até porque foram essas cidades que permitiram que nós tivéssemos o Nordeste com destaque, nos permitiram incluir a região do Pantanal, a Amazônia participando também e acredito ser importante que essas sedes cumpram seus compromissos para que possamos irradiar mais desenvolvimento pelo Brasil. A Copa do Mundo antecipou os investimentos que cedo ou tarde deveriam ser feitos.

Algumas das sedes estão apresentando mais problemas que as outras?

Não, todas as 12 cidades estão enfrentando algum tipo de problema. Tem cidade que precisa melhorar o aeroporto, outra precisa melhorar as condições dos hotéis, tem cidade que o problema é à construção do estádio. Ou melhor, era né, porque todas elas já iniciaram a construção dos seus estádios. Então é desigual as condições entre as sedes em função do tema, porém consideramos que todas merecem atenção e, fracamente, aguardo que todas cumpram os seus compromissos.

Com relação ao local da abertura da Copa já existe alguma coisa traçada?

Não existe qualquer novidade em relação à abertura da Copa neste momento, a Fifa só deverá fazer algum pronunciamento em outubro.

A Prefeitura do Natal está enfrentando dificuldades em liberar as verbas para realizar os projetos de mobilidade urbana, o senhor acredita que isso prejudicará o andamento do projeto na cidade?

Acredito que não, encontrei a prefeita de Natal e a governadora no evento realizado na Marina da Glória e as duas me garantiram que têm tomado medidas para enfrentar os limites burocráticos dessa questão. Elas se mostraram otimistas em cumprir todas as normas e liberar as verbas, por isso tenho esperança de que Natal tenha um papel importante na Copa de 2014.

Esses protestos que estão sendo realizados sobre questões referentes ao Mundial, não preocupam o governo federal?

Olha o Brasil é um país democrático e todos têm o direito de se manifestar. Vejo a organização de manifestações sobre qualquer tema com muita naturalidade. Aliás, eu mesmo comecei a minha vida pública participando de passeatas e tenho muito orgulho disso! Acredito que tanto a Fifa quanto o governo brasileiro sabem conviver com a democracia, com a liberdade de expressão e creio que as manifestações apenas demonstram a vitalidade da vida política brasileira. Portanto não se surpreendam se daqui até o ano de 2014 ocorrerem outras manifestações e greves venham a ocorrer por que isso é natural num país democrático.

O prefeito do Rio já lançou a candidatura da cidade para abrigar o sorteio final dos grupos da Copa do Mundo. Esses eventos não estão ficando muito concentrados em uma única sede?

Seria muito importante que nós pudéssemos realizar os eventos da Copa em várias cidades-sede. Até mesmo em cidades que não vão receber o evento, tá certo que o Rio de Janeiro é um local evidentemente sedutor, todos querem conhecer, todos querem estar no Rio de Janeiro, mas seria muito bom que outros eventos ocorressem nas demais regiões também.

Lá em São Paulo, as autoridades dizem que a cidade tem uma chance elevadíssima de receber a abertura da Copa do Mundo, em que pé está essa negociação?

Abertura da Copa é o assunto para ser resolvido mais adiante. Evidentemente que são quatro cidades na disputa, onde São Paulo possui uma posição de destaque por ser a maior cidade brasileira. Tem vantagens de aeroportos, destinos de vôos, rede hoteleira e etc. Agora é uma escolha que vai acontecer daqui a pouco, não existe nada definido.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários