Vendas do varejo sobem 1,0% em abril ante março

Publicação: 2018-06-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
As vendas do comércio varejista subiram 1,0% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, informou nesta quarta-feira, 13, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com abril de 2017, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 0,6% em abril de 2018. Nesse confronto, as projeções iam de uma queda de 4,4% a alta de 5,70%, com mediana negativa de 0,5%.

As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 3,4% no ano. No acumulado em 12 meses, houve avanço de 3,7%. Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 1,3% em abril ante março, na série com ajuste sazonal.

Na comparação com abril de 2017, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 8,6% em abril de 2018. Nesse confronto, as projeções variavam de uma expansão de 1,20% a 10,4%, com mediana positiva de 8,0%.

As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 7,4% no ano. Em 12 meses, o resultado foi de avanço de 7,0%, de acordo com o IBGE.

Fora do negativo
Todas as atividades do varejo ampliado escaparam do vermelho na passagem de março para abril, segundo a pesquisa. Tamanho desempenho positivo não ocorria desde 2012, observou Isabella Nunes, gerente na Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.

“Supermercados e farmacêutico são os destaques. De maneira geral, todo o varejo mostra comportamento mais forte", resumiu Isabella. “Veículos crescem por seis meses consecutivos, acumulando 14,9% de aumento. Isso mostra também a demanda das empresas, porque é varejo ampliado, não é só consumidor", lembrou.

As vendas de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios bebidas e fumo cresceram 1,0% em abril ante março, já os Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos avançaram 1,5%.

Os demais resultados foram: Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (4,8%), Combustíveis e lubrificantes (3,4%), Livros, jornais, revistas e papelarias (0,9%), Móveis e eletrodomésticos (0,7%), Tecidos, vestuário e calçados (0,3%) e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,0%) ficou estável.

No varejo ampliado, que cresceu 1,3% em abril ante março, as vendas de veículos aumentaram 1,9%, enquanto material de construção teve expansão de 1,7%.

Segundo Isabella, o mercado de trabalho permanece fraco, com nível elevado de desemprego, mas a inflação baixa tem segurado a massa de renda das famílias. Além disso, o aumento nas concessões de crédito e a redução do endividamento do consumidor têm ajudado o desempenho das vendas no varejo, afirmou.

Número
3,4%
é o percentual de aumento nas vendas no varejo restrito ao longo deste ano.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários