Vereador eleito, Tércio Tinôco promete apoio ao esporte paralímpico

Publicação: 2020-11-22 00:00:00
Primeiro cadeirante eleito vereador em Natal, Tércio Tinoco possui um forte motivo para pensar que está no mundo para  ajudar as pessoas mais necessitadas. O vereador, eleito no pleito do último dia 15 de novembro,  com 3.111 votos, disse que, aos 18 anos de idade, quando sofreu o acidente responsável pelo desenvolvimento de sua tetraplegia,  considera ter passado 15 minutos morto. “Sem respirar e sem apresentar batimentos cardíacos”. Tinoco ressalta que o fato de estar vivo se trata de um milagre e acredita que, se conseguiu a permissão divina para retornar a vida terrena, foi para servir a um propósito.
Créditos: Alex RégisTércio Tinôco, vereador eleito de NatalTércio Tinôco, vereador eleito de Natal

"Esse período que passei desacordado foi suficiente para  bater na porta do céu e voltar. Várias pessoas tentaram me ressuscitar e não conseguiram, quando meu primo me tirou da água. Por sorte, após esses 15 minutos decisivos, apareceu um funcionário do  clube onde eu me encontrava, com curso de primeiros socorros e após  muita insistência, com respiração e massagem cardíaca, conseguiu recuperar os meu sinais vitais e me devolver a vida", disse Tércio.

A vida do rapaz que sempre gostou de praticar esportes pode ser contada a partir do dia 25 de dezembro de 2005, data classificada como a do seu renascimento. Apesar de não lembrar de nada depois do mergulho que deu na piscina de um clube na cidade do Assu, até o momento que se encontrava à caminho do hospital. Tércio Tinoco sabe o quanto foi importante a presença de uma pessoa bem preparada no local e, por isso, uma de suas primeiras medidas como vereador, será apresentar um projeto de lei tornando obrigatório a presença de um funcionário com curso de primeiros socorros nas piscinas de clubes e condomínios da capital potiguar.

Eleito como o novo na política, o vereador promete não desapontar aqueles que confiaram nos projetos que sugeriu e disse que vai adotar um mandato participativo, com o gabinete aberto a todas as correntes.

"Como presidente da Sadef (Sociedade Amigos do Deficiente Físico) sei o que sofri procurando apoio para as causas que facilitariam a vida das pessoas portadoras de deficiência. Sei do tempo que tive de esperar para ser atendido e, algumas vezes, ter o pleito negado. Esse tipo de coisa não irá ocorrer em meu gabinete, que estará sempre aberto ao povo. Farei questão de atender a todos da mesma forma", promete.

Antes de 2020, jamais havia passado pela cabeça de Tércio a intenção de ocupar algum cargo político. Na verdade, ele não tinha o propósito nem de assumir a presidência da Sadef. As duas situações surgiram como uma espécie de desafio.

"Jamais fiz planos de assumir a direção da SADEF. Conhecia a entidade apenas de forma superficial. Depois que sofri o acidente e fiz um longo processo de fisioterapia no hospital da Rede Sarah Kubitscheck, em Brasília, praticamente durante todo o ano de 2006, resolvi entrar para equipe de tênis de mesa da entidade. Um motorista da casa, vendo a situação precária que se encontrava a sociedade de um modo geral e reclamando que já estava há três meses sem receber salário, foi quem insistiu para que eu entrasse na direção. Só após o terceiro chamado dele, resolvi ver a possibilidade, ingressando inicialmente na parte contábil. Depois de conhecer melhor toda situação, vi que poderia ajudar e aceitei assumir a presidência”, disse Tércio.

A ideia de concorrer a uma vaga na Câmara Municipal foi justamente o segundo passo desse desafio. Depois de os participantes e familiares de usuários da Sadef assistirem ao trabalho renovador que Tércio Tinoco realizou na entidade, começaram a surgir os incentivos para que ele aceitasse concorrer a uma vaga de vereador em Natal. A sondagem iniciou há algum tempo, mas a decisão de partir para carreira política foi tomada apenas em dezembro do ano passado.

Como nunca foi de se conformar com as limitações que a sociedade costuma impor aos portadores de deficiência e sempre teve disposição de lutar para não ver ferido o seu direito de cidadão, Tércio Tinoco à frente da Sadef empunhou a bandeira da defesa do projeto que garante ao portador de deficiência isenção no pagamento do IPVA, depois que o mesmo havia sido vetado pela governadora. Ele sempre foi uma voz ativa na luta contra as barreiras arquitetônicas que praticamente impedem os portadores de deficiência usufruírem do direito de ir e vir.

Ainda na presidência da Sadef, à qual ele será obrigado a abdicar para assumir o mandato de vereador, ele realizou uma parceria com uma faculdade e implantou o projeto Natal Praia Inclusiva, desenvolvido nas proximidades do Morro do Careca, em Ponta Negra e voltado para o atendimento de idosos e pessoas com necessidades especiais ou com mobilidade reduzida.

“A faculdade ofereceu alunos do curso de Educação Física para atuarem como monitores desse projeto e auxiliar essas pessoas na prática de exercícios, bem como aqueles que só desejam ter a oportunidade de tomar banho de mar. O projeto foi implantado em 20 de maio de 2017 e transformou Ponta Negra, na primeira praia acessível do RN. Esse ano foi inaugurado o núcleo da Redinha, instalado em frente ao Mercado Público”, destacou Tinoco.

Foi “fincado” em ações desse tipo e mostrando para o eleitorado a vontade de desenvolver um modo novo de realizar campanha, deixando o assistencialismo de lado e oferecendo projetos para melhorar a vida da coletividade, que Tércio Tinoco fundamentou a sua plataforma. O trabalho foi tão bem realizado, que nem mesmo os 15 dias em que foi obrigado a ficar fora da campanha, devido às complicações oriundas da contaminação pela Covid-19 e a necessidade de se internar num hospital da cidade, atrapalharam a caminhada rumo à Câmara Municipal.

Entrevista - Tércio Tinôco

Sadef

Entrei na Sadef em 2014, a entidade estava completamente falida, cheia de dívidas. Tive de trabalhar muito para salvar a entidade, usei tudo aquilo que aprendi dentro do curso de administração que concluí na UnP. Quando assumi estava acabando o meu curso para tentar fazer um trabalho de soerguimento, graças a Deus, depois de seis anos trabalhando a Sadef saiu do fundo do poço e se transformou na melhor associação de atendimento aos portadores de deficiência do Nordeste e já somos o segundo melhor do Brasil.

O que mudou

Quando cheguei a Sadef tinha apenas vinte paratletas treinando, agora temos 191 em plena atividade. esses 50 são apontados como os melhores do país em suas modalidades, todos desse grupo recebem bolsa atleta do governo federal. Conseguimos ampliar o quadro de modalidades oferecidas aos nossos associados, que antes só tinham duas e agora podem escolher entre nove esportes para praticar. Também na nossa gestão conseguimos implantar nossa área médica, que em 25 anos de história nunca tinha conseguido implantar esse tipo de serviço. Em nossa sede contamos com nutricionista, psicólogo, fisioterapeuta, três médicos: oftalmologista, ortopedista e um clínico geral. Adquirimos quatro veículos uma Van de 16 lugares, uma Doblò, uma moto e um reboque e também conseguimos mudar a nossa sede, que agora funciona no Caic Esportivo, em Lagoa Nova. Através de doações, conseguimos construir no local uma sede com mais de vinte salas.

Decisão de ser vereador

O trabalho desenvolvido na reorganização da Sadef me forneceu combustível para buscar a carreira política. Infelizmente é muito difícil lidar com o poder público. Muito vezes esperava horas e horas para ter uma reunião, também tivemos alguns pleitos negados pelo poder público e também junto ao empresariado, eles parecem que não acreditam numa pessoa portadora de deficiência e querem nos olhar como coitados, também desacreditam nos idosos e no esporte, que justamente serão as três principais bandeiras do meu gabinete. Cansei de esperar horas e horas para falar com a Prefeitura, de esperar meses para passar um convênio, aguardar por verbas. Então entrei para política para fazer a diferença, para fazer mais justamente nas três áreas menos acreditadas pelas bancadas: deficientes, idosos e Esporte.

A Política

Eu sempre gostei da política e sempre achei que necessitávamos ter representantes políticos que sintam na pele o que a pessoa portadora de deficiência sente. Eu sinto as dificuldades. Muitas vezes não temos um transporte público adaptado. Nós não temos um hospital de reabilitação no RN e deveríamos possuir, porque o estado  tem 27,46% da população com algum tipo de deficiência. Precisamos deixar de esconder essas pessoas e trazer para a rua, direcionar elas para centros de reabilitação, para praticar esporte e ter direito ao lazer, levar para shopping, cinema, shows e afins. Necessitamos fazer isso com urgência. Muitos de nós somos obrigados a ficar em casa porque encontramos a falta de calçadas acessíveis para transitar, com vários tipos de barreiras arquitetônicas, o transporte público não é o adequado também. Não podemos mais permitir que a categoria seja esquecida, precisamos garantir a dignidade e o direito à vida dessas pessoas.

Projeto Inicial

O primeiro projeto que desejo ver implementado já está sendo realizado. A nossa Câmara de Vereadores atualmente não possui acessibilidade para pessoas portadoras de deficiência física e essa semana, sem assumir o cargo ainda, já entrei na luta para tornar a casa do povo acessível para minha categoria. Há uma semana estamos debatendo para saber o tipo de serviço que será feito, para montar não apenas meu gabinete, mas todo o prédio. Aquela casa é do povo, as mudanças não devem ocorrer apenas para atender às minhas necessidades, pelo fato de que vou assumir um mandato. Ela tem de estar pronta para receber todo e qualquer tipo de portador de necessidades especiais. Essa questão deverá chegar ao prédio da nossa prefeitura também. Um dos meus projetos é lutar para implantar uma secretaria especial para atender as pessoas com deficiência em Natal.

Leia também: