Volume de vendas no RN recua 1,3% no 1º quadrimestre

Publicação: 2019-06-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O volume de vendas do comércio varejista do Rio Grande do Norte teve uma redução de 1,3% de janeiro a abril deste ano em relação ao mesmo período de 2018. Em abril deste ano, a redução registrada foi considerada estável e ficou em 0,1% frente a março, na série com ajuste sazonal. Em comparação com a média do Brasil, a variação de -0,1% do comércio potiguar representa desempenho um pouco acima da média nacional, -0,6%.

De janeiro a abril deste ano, conforme dados da pesquisa, volume de vendas recuou 1,3% no RN
De janeiro a abril deste ano, conforme dados da pesquisa, volume de vendas recuou 1,3% no RN

Os dados foram extraídos da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pela Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta semana. Em relação aos demais estados do Nordeste, o comércio potiguar apresentou uma variação de -0,1% no volume de vendas com valor intermediário, tendo em vista os dados dos noves estados.

Ressalta-se que, apesar da estabilidade em comparação com março deste ano, ao considerar os dados de abril de 2018, houve um crescimento de 1,3% no volume de vendas comércio varejista, o que condiz com o contexto de variação positiva do comércio varejista nacional, que registrou aumento de 1,7% em relação a abril de 2018.

Dados nacionais
As vendas do comércio varejista caíram 0,6% em abril ante março, na série com ajuste sazonal. Na comparação com abril de 2018, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,7% em abril de 2019. As vendas do varejo restrito acumularam crescimento de 0,6% no ano. No acumulado em 12 meses, houve avanço de 1,4%.

Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas ficaram estáveis (0,0%) em abril ante março, na série com ajuste sazonal. Na comparação com abril de 2018, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram alta de 3,1% em abril de 2019. As vendas do comércio varejista ampliado acumularam alta de 2,5% no ano, segundo o IBGE. Em 12 meses, o resultado foi de avanço de 3,5%.

As vendas do comércio varejista estão 7,3% abaixo do pico alcançado em outubro de 2014. “Tem um longo caminho a ser percorrido para que o varejo retorne às taxas alcançadas em 2014. O ano de 2019 ainda não contribuiu para esse crescimento, na medida em que o varejo teve crescimento zero em relação ao patamar de dezembro de 2018", ressaltou Isabella Nunes, gerente da Pesquisa Mensal de Comércio do IBGE.

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o volume vendido em abril estava 10,8% aquém do patamar recorde alcançado em agosto de 2012.

O comportamento do comércio varejista brasileiro nos últimos três meses mostra perda de ritmo, avaliou Isabella Nunes. As vendas recuaram 0,6% em abril ante março, após dois meses de estabilidade: 0,1% em março e -0,1% em fevereiro.




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários