Wallyson cede para ficar e ABC festeja renovação

Publicação: 2020-09-17 00:00:00
A+ A-
Ídolo da Frasqueira, Wallyson renovou o contrato e fica até o fim da Série D do Campeonato Brasileiro. A direção não confirma, mas fontes dentro do clube falam que o atleta perdoou uma grande parte da dívida que o Alvinegro tinha com ele e ainda assim aceitou um parcelamento do restante dos valores não revelados e uma redução de salários.

Créditos: comunicação/abcWallyson treina duro para se recuperar de contusão graveWallyson treina duro para se recuperar de contusão grave

“O clube devia um valor a ele e foi acordado um valor X, cuja primeira parte já foi paga e o contrato dele foi renovado com muita tranquilidade. Wallyson é ídolo da torcida do ABC, quis ficar no clube, tinha até outras propostas, mas optou em permanecer e o contrato dele vai até o mês de fevereiro”, explicou o dirigente.

Sobre a redução de salário, Gustavo Cartaxo confirma que o camisa 11 aceitou ganhar menos para ficar. “Sobre a redução, como a gente tem feito com alguns atletas, ele aceitou. A gente tem que fazer um orçamento que seja possível de ser cumprido sem atrasos. Não adianta a gente montar um time muito caro e não ter condições de pagar, então, temos um time que a realidade do ABC pode pagar”, justificou.
Segundo o diretor de futebol abecedista, Wallyson foi compreensivo com essa realidade e o clube teve que fazer esforços para se adequar para honrar com o novo acordo que estava sendo “costurado”. “Ele assina o contrato entre hoje (ontem) e Amanhã (hoje) e talvez não esteja à disposição para jogar no domingo”, revela.

O ABC estreia fora de casa, no interior de Sergipe, contra o Itabaiana e o atacante ainda passa por um processo de recuperação da contusão séria que teve há cerca de sete meses. “Dependemos ainda da fisiologia do clube para que ele esteja à disposição para esse jogo”, diz.

De acordo com Gustavo Cartaxo, nenhuma proposta concreta para tirar Wallyson do ABC chegou ao clube. Ele conta que ouviu apenas especulações a respeito do assunto, como por exemplo a possibilidade de o jogador se transferir para o Globo de Ceará-Mirim, ou até mesmo o Paysandu do Pará. “De todas essas histórias, a única que recebi de verdade foi uma consulta do Remo, há umas duas semanas, mas não foi nada oficial. Não sei se, para o atleta, chegou algo oficial do Globo. Isso aí a gente não sabe e nem interfere. Nós fizemos a nossa parte que é chamar o atleta e propor a renovação, dentro das possibilidades do clube e pagando o que se deve a ele”, explica.

O acerto com o ídolo não significa que o Alvinegro parou a montagem do time para a Série D do Campeonato Brasileiro. O técnico Francisco Diá já havia dito, em entrevista à rádio Jovem Pan News Natal, que o time tinha carências e que precisava se reforçar para entrar bem na disputa.

O dirigente abecedista confirma que o clube está no mercado e em reuniões para definir nomes. “Hoje nós precisamos ainda de mais um zagueiro para fechar a linha de defesa do ABC, a gente deve ter outra reunião hoje (ontem) à noite com o presidente (Bira Rocha) para justamente bater o martelo em relação a esse jogador. Sobre outras posições a gente vai aguardar um pouco o início da competição, porque, para contratar alguém, agora, teria que sair alguém. A folha já extrapolou o limite que combinamos com o presidente e agora para chegar alguém tem que sair alguém. Vamos fazer com calma. O professo Diá tem hoje dois atletas para cada posição, então ele precisa fazer com que esse pessoal continue jogando, continue com qualidade que as coisas vão acontecer”, concluiu Gustavo Cartaxo.

Souza Tibiri e Bigode assinaram contrato com o clube e o Alvinegro aguarda apenas o registro de ambos pelo Boletim Informativo Diário – BID, site que aponta a condição de jogo dos atletas de acordo com a Confederação Brasileira de Futebol – CBF.