Wallyson tem razão

Publicação: 2020-01-17 00:00:00
A+ A-
Rubens Lemos Filho
rubinholemos@gmail.com


Créditos: Andrei TorresWallysonWallyson

O atacante Wallyson declarou o que todo abecedista queria ouvir sem ter coragem de dizer. O ABC é um time covarde. Wallyson, que fez um dos gols do 2x2 em casa contra o Potiguar, mesmo veterano e entediado, foi o que sobrou de qualidade na farândola alvinegra.

Nunca um time do ABC foi tão parecido com a diretoria. Lerda, preguiçosa, sem tesão nem requisitos positivos para agradar a Frasqueira. É muito ruim, quase o pior dos péssimos, o amontoado que recebe as camisas, entra em campo e decepciona.

Wallyson é um orgulho gerado nas manjedouras para causar alegria aos torcedores. Incrível: Depois de 12 anos, período dos 5x2 na final contra o América e de um dos acessos à Série B, Wallyson é dos raríssimos bons de bola surgidos na Rota do Sol.

Matheus e Fessim foram outros iluminados cuja luz do ostracismo apagou. Matheus foi para o Corinthians que o repassou ao Ceará que o encostou. Matheus, eu também disse, teria mais potencial e habilidade que Wallyson.

O empate por 2x2 com o Potiguar é acidente de percurso, é normal. Esquisita é forma, que reflete a pobreza de conteúdo. O resultado é a face narcisista de um clube que perdeu sua essência popular e é administrado por neófitos conhecedores de futebol como eu de biologia.

Wallyson vinha calado e chateado com a demonstração pútrida de racismo sofrida na partida anterior. A diretoria, rapidez de girafa, não tomou atitude prática contra o frangueiro do Palmeira de Goianinha, autor, segundo Wallyson, da ofensa contra ele.

O ABC é Wallyson é mais dez. Já aconteceu outras vezes com Alberi, Danilo Menezes, Odilon, Joãozinho e Zinho como estrelas solitárias. Ocorre que nenhum dos mencionados contava com assessoria tão devagar quanto à de Wallyson. Núbio Flávio é bem diferente de Juninho Petrolina e Ivan Terrível, dois que tratavam bem a bola.

O que está acontecendo em campo é resultado de uma gestão inerte. Muda, tímida, frágil. Quem abre a boca, fala bobagem. Quem fica calado, peca por omissão. No ambiente do futebol, cartola bom é cartola atuante, ativo, retrato da massa que carrega o clube.

O ABC não tem Sócio -Torcedor, mas Sócio- Sofredor. Sujeito desfalca o orçamento familiar paga metade do preço do ingresso para ver o ABC não resistir ao Potiguar. O grito de Wallyson está ecoando pelo vazio do Frasqueirão.

Wallyson não é o mesmo de 2007, ainda assim melhor do que todos os songamongas contratados para fazer pior do que o trivial. Não alegue o ABC contenção de despesa se mantém 130, 138 funcionários.

É gente na folha de pagamento em quantidade de prefeitura de porte médio. O ABC tem 33 milhões de dívida e se dá ao luxo de ceder um cartão corporativo a cartola para gastar quase 200 mil reais.

O ABC decepciona em campo e cria gerências e diretorias remuneradas, sem ninguém do ramo, sem um filho de Nosso Senhor que entenda mais do que futebol ultrapassa o campo de jogo. Ah! O presidente quer vender o ônibus do clube. Vai todo mundo a pé ou de carona para os jogos. ABC, time do vale-transporte. Wallyson vai dar outra pancada.

Avanço
O América fez o que lhe cabe e bateu o Globo, chegando aos 12 pontos e livrando dois a mais que o ABC. O América que antes do campeonato não gerava comentários eufóricos, provocava até o desdém de muitos torcedores e de boa parcela da mídia, tem o turno nas mãos. Basta não errar.

Diferença
Enquanto no ABC, a diretoria entra muda e sai calada, no América o presidente Leonardo Bezerra caiu nas graças da galera. Interage nas redes sociais, toma à frente, mostra a cara. É um jovem com mentalidade renovadora. Não se vê ou ouve ou lê Leonardo de baixo astral com dívidas. O América pode tê-las, mas o futebol está em primeiro lugar.

Globo
Um desastre o time do Globo. Desde que perdeu na Justiça Eleitoral a prefeitura de Ceará-Mirim, o mecenas Marconi Barreto deu uma freada no seu time. O desdobramento é a péssima campanha que vem fazendo. Chato, porque Renatinho Potiguar, o último lateral-esquerdo de respeito no Rio Grande do Norte, fica com o desgaste das derrotas.

Potiguar
O empate do Potiguar foi muito mais pela fragilidade do ABC do que por méritos próprios. O Potiguar com um time melhorzinho teria ganho em pleno Frasqueirão. Mossoró faz uma falta danada. Mossoró com times fortes. O torcedor mossoroense é apaixonado. Tem bom gosto e não assiste peladas.

Celso 
O acelerado técnico Celso Teixeira está com a tarefa de fazer do Treze(PB) de novo campeão paraibano. Celso Teixeira conhece futebol, mas é inconstante.






Deixe seu comentário!

Comentários