Yamaha Brasil confirma sua primeira moto, a 150 FLEX

Publicação: 2013-08-23 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A Yamaha confirmou, dia 16, que irá lançar no Brasil uma inédita motocicleta "FLEX" de 150 cilindradas da marca, com injeção eletrônica, ainda sem nome definido. Além disso, a Yamaha aproveitou para divulgar a primeira imagem do novo modelo. Apesar de não ser totalmente nítida, a foto mostra um modelo urbano mais requintado que a atual "YBR 125", que brigará com as Honda CGs 150 Titan e Fan. Semana passada, este "Caderno" publicou que os modelos YBR 150 e XTZ 150, inéditos mundialmente, haviam chegado ao Brasil este ano importados do Japão. Consultada, a Yamaha não confirmou que os dois modelos serão vendidos no País, mas, pelas características urbanas do modelo da foto, essa é a provável "YBR 150".

As primeiras unidades chegaram do país asiático para testes e homologação no Brasil para, em uma segunda fase, serem produzidas no País, como confirmou a Yamaha. Segundo a Receita Federal, a "YBR 150" possui motor monocilíndrico de 149,3 cilindradas do tipo 4 tempos. Sua potência máxima é de 12,97 cavalos e a moto possui sistema "FLEX", que pode rodar com gasolina e etanol, ou ambos em qualquer proporção. É a estreia desse sistema nas motos de 150 cilindradas da Yamaha. Por enquanto, só a Fazer 250 é bicombustível. O peso da "YBR 150" é de 118 kg e as medidas das rodas são de 18 polegadas.

Sua irmã off-road XTZ 150, que compartilha grande parte de componentes, traz o mesmo motor, mas o peso é de 121 kg e a roda dianteira é de 19 polegadas, enquanto a traseira tem 17 polegadas.

Em pesquisa informal feita em concessionárias da Yamaha em São Paulo, alguns vendedores  falam abertamente da "YBR 150". Segundo eles, a moto chegaria no mês que vem, custando aproximadamente  R$ 7.500,00.

Além das CGs 150 Fan e Titan, existem no mercado brasileiro outros modelos utilitários com características similares, porém, com exceção da Honda, nenhum é flex. A Suzuki tem a GSR 150i, com injeção eletrônica, enquanto a Dafra Riva 150 e a Kasinski Comet 150 são carburadas.

A Yamaha divulgou poucas informações sobre a futuro modelo, que terá partida elétrica e sistema BlueFlex, para rodar com gasolina e etanol.

Segundo a empresa, o projeto foi concebido em parceria das equipes de engenharia da montadora no Brasil e no Japão. A transmissão secundária é feita por corrente e o câmbio possui 5 marchas

Analisando a imagem, é possível ver que, a exemplo da CG, que abandonou o farol redondo, a Yamaha 150 traz conjunto óptico diferenciado na dianteira, com carenagem envolvendo o farol. Além disso, o farol utiliza sistema misto de analógico com digital.

Na dianteira, a impressão é de que a moto conta com freio a disco, enquanto na traseira também aparenta ter um disco. A Honda CG 150, a principal concorrente, traz freio a disco apenas na dianteira. Ainda no eixo traseiro, a moto traz suspensões com dois amortecedores.

O tanque também traz protuberantes carenagens nas laterais similares ao da nova CG. No entanto, ao contrário do da rival, possui três entradas de ar.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários