Zootecnista do RN cria 'Bife para abelhas' e movimenta cultura apiária

Publicação: 2019-08-25 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ícaro Carvalho
Repórter

Uma ração desenvolvida por um zootecnista vem movimentando a cultura apiária do Rio Grande do Norte e do Brasil: o ‘Bife das Abelhas’. Criado pelo professor Dr Antônio Abreu Neto, 37 anos, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN) no campus Pau dos Ferros, o ‘bife’ tem como objetivo principal auxiliar a alimentação das abelhas em momentos de seca e estiagem, situações recorrentes no semiárido nordestino. De custo baixo e com boa aceitação pelos insetos polinizadores, o ‘bife’ vem ganhando adeptos e destaque fora do Estado.

‘Bife das abelhas’ tem alto grau de aceitação no apiário e sai a baixo custo para os criadores
‘Bife das abelhas’ tem alto grau de aceitação no apiário e sai a baixo custo para os criadores

“É uma ração que não é cara, do ponto de vista que as abelhas consomem pouco, tem uma conversão alimentar muito boa e a a rainha faz muita postura.” revela o professor Abreu Neto à TRIBUNA DO NORTE, que estudou a ideia na tese de doutorado, feito pela Universidade Federal do Ceará (UFC), e já trabalha com abelhas há 15 anos.

A nova ração surgiu da necessidade de Abreu alimentar suas abelhas no período da ausência das chuvas, situação corriqueira aqui no Estado, onde mora há seis anos e meio. O professor explica que já havia alimentado suas abelhas utilizando leite, soro de leite, iogurte, coalhada, entre outros alimentos ricos em proteína. Antes, já havia convivido com o clima seco no Sertão central do Ceará, Estado onde nasceu.

O que chamou a atenção do professor foi justamente o porquê que os insetos consumiam esse tipo de alimento. “Fiquei impressionado porque elas  consumiam isso. Fui atrás na literatura e vi que uma das proteínas era a albumina e fiz a ligação. As abelhas no abdômem delas, guardam a albumina como uma reserva. Toda vida que o organismo precisa, elas capturam e usam”, disse.

Ele notou que a albumina também se fazia presente na clara do ovo, numa concentração maior. O pesquisador também percebeu que o ovo em pó, além de suplementos alimentares, também contém a substância, e pode ser usado na fabricação do bife.

No período de pesquisas, Abreu conta ainda que chegou a testar, em laboratório, o alimento desenvolvido com uma ração comercial e notou que a taxa de abandono das abelhas era praticamente nula. “No apiário alimentando com essa ração, nenhuma colmeia abandonou o ninho. Enquanto a ração comercial e aquelas que não estavam sendo alimentadas, abandonaram”, completa.

O que chama a atenção também para a produção do alimento é justamente o fato dele ter um baixo custo. A viabilização de um quilo, por exemplo, com valores de 2017, era de aproximadamente R$ 22,00. Para manter uma colônia com uma população de 20 a 30 mil abelhas, segundo o professor, bastam 17 gramas. Com isso, o criador de abelhas gastaria aproximadamente R$ 0,36 por semana, R$ 1,44 por mês e R$ 11,52 por mês.

Abreu explica ainda que, mesmo que o produtor faça em larga escala, é possível conservar o material por um longo período.  “Eu conservava no freezer, próxima a zero grau. O produtor pode guardar no congelador da geladeira, tranquilamente. Eu deixei seis meses e não mudou a consistência nem nada”, revela.

Repercussão
O professor Abreu Neto explica que a ração das abelhas vem recebendo uma boa repercussão por parte dos criadores potiguares, inclusive, de produtores de outros estados e países.

“Até agora, alguns entraram em contato comigo, de forma particular. Quem procurar eu não tenho problema de passar a informação não. Já teve procura de um cara da Flórida, gente do Panamá, recebemos pessoas do Acre, da Amazônia.” Ele comenta ainda que a produção ganhou destaque no programa Globo Rural, da TV Globo, um dos principais do País na área da agricultura e do homem do campo.

Ainda de acordo com o professor, o próximo passo é patentear a ideia junto ao IFRN, para ter a propriedade intelectual do ‘bife das abelhas’.

Conheça mais sobre o ‘bife das abelhas’
R$ 22,00 é o valor aproximado para viabilizar 1kg da ração das abelhas;

17 gramas é o necessário para manter uma população de 20 a 30 mil abelhas

Aprenda como fazer o “Bife das Abelhas (para 10 colmeias):
20g de albumina;
100g de extrato de soja;
15 gotas de essência de baunilha;
100 ml de xarope de açúcar (deve ser feito na proporção de dois para um, ou seja, 2 kg de açúcar para 1 litro de água).

As substancias devem ser misturadas até a massa alcançar uma consistência firme. Quando desgrudar da mão, a ração está pronta. Ela dura uma semana.

É recomendado que a pasta seja guardada em papel alumínio e ao ser disponibilizada para as abelhas, que seja colocada junto aos quadros da colmeia.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários