Cassiano Arruda Câmara

Agora, chegou a hora de prestar atenção ao calendário, porque as decisões que forem tomadas, para a presente campanha eleitoral, tem tempo marcado – e exíguo – para se consumar.

Aliás, a semana começou com uma data que caiu em desuso, mas já foi muito importante. Dia 15 de Maio (domingo):  Início do prazo para as pré-candidaturas começarem a fazer a arrecadação prévia de recursos por meio de financiamento privado.

O “Fundo Partidário” estatizando os gastos de campanha tem mudado esse departamento, tudo saindo da bolsa da “viúva”, consequência da “Lava Jato”. Os recursos do Governo parecem suficientes para pagar a festa de todos os partidos e seus candidatos.

Depois do “fundo partidário, o ex-presidente Lula, também candidato, definiu a política brasileira, depois da mudança nos partidos, como “uma cooperativa dos deputados”. Com isso, a prioridade dos partidos é eleger maior número de Deputados Federais, que define as cotas do Fundo para os próximos quatro anos. Eleição majoritária, deixa pra lá...

UM OLHO NO GATO
Daqui pra frente, segundo uma respeitada raposa política, o acompanhamento da disputa eleitoral tem de ser feito com “um olho no gato; outro no peixe”, derivativo de um ditado português, originário da cidade do Porto, modificado porque o original foi considerado politicamente incorreto, para mostrar a necessidade de atenção total “um olho no burro e outro no cigano”.

Tradução: - Daqui pra frente para acompanhar a campanha é preciso ter um olho na movimentação dos partidos (com todos os seus candidatos) e outro no calendário.

A necessidade é fruto da inexistência real de partidos políticos, restando muito poucos fora da onda (inclusiva alguns dos chamados grandes) que elegeram a participação do fundo partidário como a prioridade das prioridades eleitorais. A candidatura do sr. Luciano Bivar, presidente do União Brasil (junção do DEM e PSL concretizada em 6 de Outubro do ano passado) é a comprovação do desvio de conduta da maioria dos nossos partidos políticos, dando razão a definição de Lula da “cooperativa de deputados”.

OUTRO NO PEIXE
No Rio Grande do Norte, o quadro é ainda mais confuso, porque nem mesmo as maiores forças conseguiram se enquadrar na nova realidade.

Se classificarmos, esta, como tem acontecido em todas as eleições, elas sempre partiam, de dois grupos bem definidos: o da Situação e da Oposição, com espaço para quem não conseguiu um lugar de um lado ou de outro tentar entrar no jogo.

O lado situação, com a candidatura da governadora Fátima Bezerra à reeleição, parece mais arrumado, embora com um problema grande no seu maior partido, o PT, com a candidatura de dois Alves (Carlos Eduardo e Walter) na chapa majoritária. Um grupo representativo de “compañeros” não engole a candidatura de Carlos Eduardo (adversário de Fátima há quatro anos) e vem municiando o público com vídeos daquela época, com o ex-Prefeito expondo sua posição contra o PT, contra Lula e contra Fátima.

Sem esquecer que os dois Alves são os únicos representantes das oligarquias na chapa majoritária, lançados por quem mais combateu as tais oligarquias (Alves X Maia) nos últimos 30 anos. Os Maia estão fora, embora José Agripino presida um partido, e esteja fora da disputa. 

OPOSIÇÃO DESARRUMADA
Na oposição, o quadro é ainda mais complicado pela falta de um candidato a Governador durante muito tempo. Na fase preliminar apareceram candidatos de sobra, começando por dois Ministros de Bolsonaro (Rogério Marinho e Fábio Faria) e Carlos Eduardo, entre outros.

Na hora do vamos ver, os dois desistiram do Governo e buscavam o Senado. Bolsonaro optou por Rogério e Fábio encontrou mil motivos para continuar no Governo Federal, ligando o seu nome à chegada ao Brasil do sistema de telefonia 5-G, e não entrou na disputa de Deputado Federal, em favor do pai, o ex-governador Robinson Faria, com candidatura já lançada.

E Rogério, além da própria candidatura, comandou a busca ao candidato ao Governo, começando pelo Presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira de Souza que ocupou a pista uns dez dias até desistir. Quando apareceu outro Fábio, Fábio Dantas (vice Governador de Robinson), que tratou de ocupar o espaço e tem ido atrás dos mais de cem Prefeitos que estavam comprometidos com Rogério e Ezequiel, enquanto tenta chegar ao grande público como o candidato da Oposição.

HORA DA DECISÃO
Agosto é o mês decisivo para as definições. No dia 11, profissionais de TV e Rádio que forem candidatos não podem mais exercer suas profissões e aparecer nesses veículos de comunicação (A Internet continua livre para todos e já é vista, por alguns teóricos, como o veículo de maior penetração, sem ser concessão do Estado).

E ainda existem duas candidaturas fora do nosso ABC e América eleitoral, tentando se mostrar viáveis:
O senador Styvenson Valentim, mesmo com seu medíocre desempenho de mandato, vem conseguindo aparecer nas pesquisas como um outsider.

Além do deputado Rafael Mota, que está deixando uma eleição viável de deputado federal para entrar na disputa pelo Senado, na esperança de começar com os votos do PT que reagem a Carlos Eduardo.

O calendário ainda mostra: de 31 de Agosto a 16 de Setembro. tempo das convenções que definirão os candidatos.
A partir daí, é com o voto; em 2 de Outubro no Primeiro Turno, e 24 de Outubro no Segundo.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

A Universidade Federal, finalmente, lembra os 60 anos de ensino de Comunicação no RN, como sendo 60 anos do seu DECOM, incorporando os 13 anos da Faculdade de Jornalismo Eloy de Souza, estadual.

Reprodução


Mas nem criou ainda um grupo de trabalho (que abundam na comunidade universitária) para cuidar desse aniversário. Por enquanto saiu, no Portal da UFRN, uma reportagem (correta) de Adriene Galvão, Ana Lourdes Bal e José de Paiva Rebouças, da AGECOM, que tentaram o impossível: registrar mais de meio século de uma pioneira instituição de ensino, numa matéria.

A fase pioneira da Faculdade, a segunda do Brasil (a primeira foi a Casper Líbero, de São Paulo), quando teve maior interação com a comunidade com projetos como o jornal semanal (EXTRA primeiro jornal-laboratório disputando o mercado); o jornal MÃE LUÍSA (experiência pioneira em jornal comunitário feito por universitários) e o programa “Xeque Mate”, restrito ao auditório da Faculdade (antes de chegar a TV-U), mas, mesmo assim, apontando pelo próprio como episódio  importante para a eleição do senador Agenor Maria, em 1974. Depois de incorporada à UFRN e virou urso perdeu a interação que tinha com a comunidade, mesmo possuindo agora uma emissora de TV (a TV-U) distante 50 metros da sede do DECOM e seu integrante.

Doação de mil obras de arte para a Ufersa
A professora Isaura Rosado está fazendo doação à Ufersa, em comodato, de mil obras de arte de artistas de Mossoró, de sua coleção particular, que servirão para instalação de um museu de arte mossoroense. Isaura é candidata a nossa Academia de Letras, na vaga do ex-governador Geraldo Melo.

Reprodução


Isaura fez uma exposição de sua coleção transformada em livro: “uma pequena amostra das obras de arte que eu tenho adquirido ao longo dos últimos 25 anos, obras dos próprios artistas, compradas em leilão e que venho fazendo esse acervo que hoje alcança mais de 2 mil obras, é um recorte das artes plásticas do RN”, na humildade dela.

Primeiro açude contra a seca volta a tomar água
Uma das primeiras grandes obras contra a seca no Nordeste, o açude Cedro, em Quixadá, Ceará (a 160 Km de Fortaleza), que esteve completamente seco, desde 2016, começou a recompor seu estoque com as chuvas deste ano.

O açude Cedro teve sua ordem de construção autorizada por d. Pedro II em decorrência do grande impacto social provocado pela seca de 1877 - 1879, mas só foi concluído em 1906, na República. O  Cedro só secou totalmente nas secas de 1930. 1932. 1950, 1999 e nessa última seca de 2016.

Defensora da Ivermectina e Bolsonaro quer ser deputada
A médica infectologista Roberta Lacerda, que se lançou defendendo a “invermectina” para curar a Covid-19, assim como as teses do presidente Bolsonaro, é candidata a Deputada Federal pelo PL e já chegou à TV.

Coronel-Deputado defende a volta da monarquia  
O deputado-coronel Azevedo, no seu terceiro mandato revelou-se monarquista, justificando uma pauta conservadora, entrou no Movimento Pró-Monarquia; enquanto a monarquia não vem apoia Bolsonaro.

RN merece um “Prêmio Nobel”
Se houvesse um “Prêmio Nobel” de Puxasaquismo, seríamos imbatíveis com essa estampa, de autor desconhecido, que voltou a rodar na Internet. Retratar a nossa Governadora como Nossa Senhora de Fátima é demais... 

Reprodução


Severo é lembrado depois de 120 anos
Depois de ser muito “deshomenageado”, deixando de ser nome de município (atual Campo Grande) e de aeroporto (reduzido a estação de passageiros da Base Militar) Augusto Severo de Albuquerque Maranhão, nascido em Macaiba em 1864, e morto no acidente do dirigível Pax, em Paris, em 1902, há 120 anos, volta a ser lembrado pelos seus conterrâneos.

Reprodução


No Diário Oficial saiu um ato da governadora Fátima Bezerra criando um Grupo de Trabalho, presidido pelo vice-governador Antenor Roberto e com 12 integrantes, para estudar o translado dos restos mortais do nosso pioneiro da aviação, no Rio de Janeiro. Mais importante do que trazer, é definir, antecipadamente, o que se pretende fazer com seus restos mortais. A programação começou, quinta-feira, com o lançamento do livro “Augusto Severo: o homem que sonhou voar”, no Museu da Rampa, no dia do aniversário de sua morte. Museu que mantém uma exposição sobre o tema que teve curadoria de Leide Câmara.

Da Serra do Mel Lalau faz 400 mil seguidores
Tem um norte-rio-grandense do Interior, 42 anos, na trilha do baiano Iran Ferreira, 20 anos, o “Luva de Pedreiro” (grande fenômeno das redes sociais). - É Leonardo Quirino, morador da Serra do Mel (a 250 quilômetros de Natal), maior produtor de caju do RN, e que tira o seu sustento de “quebrar” castanha.

Reprodução


Conhecido por Lalau, ligado em futebol e avesso à tecnologia, virou um fenômeno da Internet, onde, do “meio do mato” conquistou 300 mil seguidores no Tik Tok e 30 mil no Instagram, com um blog ,“A tropa de Lalau”, que se sustenta nos seus posts, jogando  e comentando futebol. Esta semana, ganhou reportagem de página inteira n’O Estadão apresentado como um fenômeno, ainda desconhecido no seu Estado. Ele não é o primeiro. 

Baixo Assu chega ao fim com 300 lotes familiares
O Governo do Estado começa a seleção de agricultores e agricultoras familiares para receberem um dos 300 “lotes familiares”, de 3 hectares cada, no projeto Baixo Assu...

Para conclusão total do projeto também faltam quatro lotes empresariais (100 hectares) que boiaram nos leilões e serão leiloados novamente, antes do secretário Guilherme Saldanha considerar concluído o projeto, depois de mais 30 anos.

Estudantes da UFRN poderão estudar sem pagar em Portugal
O Instituto Politécnico de Bragança, Portugal, firmou parceria com a UFRN para que estudantes possam cursar presencialmente na universidade portuguesa, sem a necessidade de pagamento da taxa  anual cobrada pelas universidades portuguesas.

Reprodução


As taxas e anuidade do intercâmbio para o IPB podem custar até R$ 7 mil. A participação da UFRN no intercâmbio permite a isenção dessas taxas, além da possibilidade de cursar em outro país da Europa.

A seleção para o primeiro semestre letivo do IPB (de 19 de setembro de 2022 a 18 de fevereiro de 2023) está aberta. Inscrições até a próxima quinta-feira, 19 de maio pelo endereço eletrônico mobilidade@siri.ufrn.br.

Estoque acumulado em sete açudes são de bom inverno
As autoridades que atuam na área de recursos hídricos distribuíram uma nota com a relação de sete açudes do RN que atingiram a marca de 100% de sua capacidade, o que, por si só, representa a “notícia de um bom inverno”. A Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, a maior do Estado, acumulava, já em abril, 1.279.579.437 m3, equivalente a 53.92% de sua capacidade total, que é de 2.379.579. 437 m3.
Cassiano Arruda Câmara

Quando o jogo parecia feito, com todos os disputantes conhecidos e o cacife devidamente definido, eis que, na 25ª hora, do nada, aparece um novo personagem; e que não existia “jogo feito” coisa nenhuma.

Estamos falando do jogo para Senador da República nas eleições de 2022, no RN.

O quadro parecia definido com as candidaturas de Rogério Marinho, o primeiro lançado, pelo próprio Presidente da República, Jair Bolsonaro, que havia decidido fazer a eleição para Senador como a mais importante para o seu hipotético segundo Governo.

No Rio Grande do Norte ele tinha dois Ministros de olho no Senado, além de Marinho, do Desenvolvimento, Fábio Faria, das Comunicações; ambos com as candidaturas postas. Bolsonaro imaginava a chapa completa, indo um ministro disputar o Governo do Estado, e o outro, o Senado.

Faria saiu vitorioso no recuo, decidindo continuar no Governo Federal e deixar seu nome ligado a chegada do G-5 na telefonia do Brasil, além de poder ajudar o pai, o ex-governador Robinson Faria, que pleiteia uma vaga na Câmara Federal. Ministro, poderá ajudar o pai e o colega de ministério.

ELEMENTO SURPRESA
Um jogo que parecia definido, com pequenas necessidades de acomodação (aparentemente expostas e resolvidas), mas com um processo de rejeição queimando por baixo. Isso levou o presidente estadual de outro partido, com um projeto partidário – e pessoal – em pleno desenvolvimento, caminhando dentro do planejado, a enxergar uma oportunidade eleitoral.

O deputado federal Rafael Motta, da 4ª geração de tradicional família política, surpreendeu os analistas com o seu desempenho nas urnas, e agora surpreende mais uma vez.

Depois de ter arrumado o seu partido – o PSB – e conseguir formar uma nominata com caixa para eleger dois Deputados Federais (inclusive ele), o quadro político do RN que também parecia pronto para as urnas, sofre um impacto que está exigir uma rearrumação mais ampla daqui pra frente.

Rafael Motta estava trocando um projeto muito bem planejado, sobretudo depois da conquista de Henrique Alves (com mais de 50 anos de MDB e 11 mandatos) para a sua legenda. Mesmo assim deixou o conforto de uma eleição provável, para fazer o que nenhum detentor de mandato havia topado até aqui. - Motta entra no risco, enquanto alguns dos seus colegas estudavam a criação de um “seguro” contra derrota eleitoral.

RISCO CALCULADO
Integrante do grupo dos estradeiros, Rafael sentiu a fragilidade da chapa para o Senado, mesmo com o ex-ministro Rogério Marinho contar com mais de uma centena de prefeitos fechados com sua candidatura, na chapa da oposição estadual, contra o ex-Prefeito Carlos Eduardo (PDT de Ciro Presidente da República) e já aceito pelo ex-presidente Lula.

A reação do PT (sobretudo do PT raiz) à candidatura de Carlos Eduardo, tem um movimento já lançado. A deputada Isolda Dantas, de Mossoró, por exemplo, não se faz de rogada para falar de Carlos Eduardo, assim como de Walter Alves, já referendado por Lula como o candidato a vice-governador.

Em várias entrevistas, a deputada Isolda justificou a sua posição em negar o apoio aos novos aliados:
1 – Lembrando que o deputado Walter Alves votou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff; 2 – Enquanto o ex-prefeito fez campanha a favor de Jair Bolsonaro para Presidente, na eleição de 2018. Isolda é apoiada por uma rede de correligionários que começou a divulgar vários posts nas redes sociais, mostrando esses aliados em 2018.

SENSO DE OPORTUNIDADE
Rafael Motta, sentiu que havia uma oportunidade para um terceiro nome, e levou o assunto para a direção nacional do seu Partido, o PSB. E do Presidente Nacional do Partido Socialista do Brasil, Carlos Siqueira, recebeu – de cara – um entusiástico apoio:

- Até agora não tivemos resposta, nem positiva nem negativa da governadora Fátima Bezerra, sobre a candidatura de Rafael. Mas ele tem o apoio total da direção do seu partido para ser candidato ao Senado.

O quadro nacional parece desfavorável a Carlos Eduardo, porque o seu partido, o PDT, tem candidato próprio a Presidente, Ciro Gomes, ex-governador do Estado do Ceará. Além de não haver empatia entre ele o PT, e com o ex-presidente Lula.

Enquanto isso, o partido de Rafael, já integra a coligação que apoia a candidatura de Lula, e o elemento surpresa dessa eleição já deu presença no último sábado, em São Paulo, no lançamento oficial da candidatura de Lula, uma credencial para facilitar a conquista de qualquer apoio petista.

ARGUMENTO DO LÍDER
 Por que a candidata Fátima Bezerra se empenhou tanto em ter Carlos Eduardo na sua chapa? -  O mesmo Carlos que havia sido o seu aliado e terminou seu opositor direto na última eleição, em 2018?

Certamente ninguém vai apontar a verdadeira razão de se atrair Carlos Eduardo, que havia feito alguns ensaios de ir para a linha de frente da oposição à Fátima e concordou em fazer um acordo com ela, depois de algumas conversas só dos dois:

- Carlos Eduardo Alves continua liderando a disputa para o Senado, em pesquisas de todos os Institutos que fazem esse acompanhamento no Rio Grande do Norte.

Botar pra baixo do palanque um candidato que lidera uma disputa majoritária, não é fácil. Principalmente quando falta menos de um mês para que as definições sejam feitas, inapelavelmente.

Menos para quem decidiu correr riscos quando os colegas debatiam um seguro contra derrota eleitoral, com a garantia um cargo vitalício no Governo para o derrotado. - Rafael Motta escolheu o caminho de correr riscos.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.
Cassiano Arruda Câmara

O Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, tradicional endereço da “Festa do Boi”, depois de quinta-feira, se torna também o endereço da “Festa do Cavalo”.

Reprodução


O Governo do Estado, através da Secretaria da Agricultura, em colaboração com Associação dos Criadores de Cavalo e da ANORC decidiram realizar esse evento que começa a ser divulgado, na última semana.

A 1ª Festa do Cavalo, começa testando o potencial deste segmento, atuando diretamente junto aos criadores, de quinta a sábado, com shows e outras atrações que nem a Festa do Boi.

Guararapes/Riachuelo mudam para o Novo Mercado da B3
Com o tradicional toque da campainha para celebrar suas ações (agora GUAR3) para o segmento Novo Mercado, da B3, a única bolsa de valores do país onde é possível negociar ações, fundos, commodities e outros ativos.
Reprodução


A Guararapes abriu o seu capital ainda em 1970, e hoje é o maior grupo empresarial de moda do Brasil, além de controlador da rede varejista Riachuelo, da Midway Financeira e do Midway Mall.

“A migração para o Novo Mercado reforça o compromisso do Grupo Guararapes com seu processo de evolução e amadurecimento” disse Flávio Rocha CEO da Guararapes.

Cotado para Arcebispo padre Soares nomeado para o Ceará
Um dos nomes lembrados para ser Arcebispo de Natal, o padre Geraldo Freire Soares, que trabalhou na paróquia do Morro Branco, em Natal, foi nomeado, quarta-feira, Bispo da Diocese de Iguatu, no Ceará, pelo papa Francisco.
Reprodução


As fontes bem informadas da Arquidiocese, acreditam que o novo  Arcebispo de Natal só será conhecido em Setembro.

O bispo resignatário, D. Jaime Vieira Rocha, segue terça-feira, para Roma, para participar do Sínodo dos Bispos.

IDEMA vai a Caicó discutir o impacto de parque eólico 
O IDEMA realiza, quinta-feira, em Caicó, uma audiência pública presencial para discutir o estudo de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) do complexo Eólico Ventos de Santo Eduardo, composto de 13 parques eólicos, totalizando 130 aerogeradores, com 806 MW de potência total numa área de 1.287,17 hectares, nos municípios de Jucurutu, Caicó e Cruzeta.

Fátima transfere Governo Cidadão a Rosado Coelho
A governadora Fátima Bezerra entregou o programa Governo Cidadão, que era comandado por Fernando Mineiro, para o Secretário da Infraestrutura,  engenheiro Gustavo Fernandes Rosado Coelho.
Reprodução


O que seria um simples ato de rotina ganha relevo pelo sobrenome do Secretário da Infraestrutura, reforçando a atenção que Fátima vem oferecendo a cidade de Mossoró.

Metrópole Digital amplia as suas parcerias e ações
O Instituto Metrópole  Digital amplia suas parcerias e campo de atuação, com a entrada do grupo Neoenergia (leia-se Cosern), a parceria entre no campo acadêmico com a soma de um laboratório de inovação, começando para a busca de soluções para problemas da distribuidora de energia.
Reprodução

O Presidente da Cosern, Marcio Caires Vasconcelos, “esta parceria é a materialização de um modelo de trabalho que busca soluções que geram eficiência através de um fluxo ágil e de tomada de decisões baseadas em dados”.

Recuperação da Itagrés enfrenta três problemas
O Secretário de Desenvolvimento, Silvio Torquato, foi a Mossoró, ouvir o Sindicato dos Trabalhadores em Cerâmica, sobre a recuperação da fábrica de piso cerâmico.

Reprodução


O grupo Itagrés enfrenta uma ação da Prefeitura, querendo retomar o terreno onde foi construída a fábrica, mas uma decisão do Banco do Nordeste, que não libera os recursos da Recuperação Judicial, que prioriza o pagamento dos empregados, mas o Governo Federal  entende  que esse pagamento é vedado para empresas financiadas pelos fundos constitucionais e estão em recuperação judicial.

A posição do Governo do Estado é abrir o diálogo entre as partes. A fábrica de Mossoró continua funcionando com 150 contratados, confiando na sua recuperação.

Veja a moral do treinador que não agrada em casa
Treinador mais rodado pelo Interior do Nordeste, o potiguar Francisco Diá só não tem lugar no seu Estado. Ele mostrou sua “moral”, domingo passado, dirigindo o Altos do Piauí, ao escalar um time misto contra o Flamengo que saiu perdendo e só virou no final, com ajuda da arbitragem.
Reprodução


Diá achou de poupar seus valores para o jogo contra o ABC, quarta-feira. E o seu time derrotou a equipe natalense do jeito que ele havia planejado. Mas os times locais não lembram dele.

Theodorico Neto não será candidato
Theodorico Neto que é suplente de Fátima Bezerra no Senado, não vai disputar a próxima eleição. Ele continua ocupando cargo público. Exonerado do cargo de diretor-geral do IPEM foi nomeado Assessor Especial da Governadora.
Reprodução


Para a direção do Instituto de Pesos e Medidas foi nomeada Mariana Isamin Bezerra Soares.

Aqui está o assunto que não foi discutido
Ainda falta a tarifa a ser cobrada no sistema de ônibus urbano em Natal depois da concorrência tão falada.  Aqui terá subsídio ou não?
Reprodução


Carlos Batinga, criador do sistema de ônibus de Natal, cita o exemplo do Estado de Goiás num recente reajuste onde Governo entra com 41.2%. Batinga assegura que a tarifa técnica lá devia ser de R$ 7.26 e a passagem cobrada em abril era de R$ 4.30.

Muro de proteção a Ponta Negra pode ser de blocos 
A proteção de Ponta Negra contra o avanço do mar poder[a ter a tecnologia de blocos de concreto (tipo um “lego” com peças de 2.500 Kg) porque seu representante foi admitido na concorrência.

Reprodução


A insistência no uso de espigões de pedra, além de pouca durabilidade, e refúgio de ratos e animais peçonhentos, pode acabar com a nova tecnologia já testada e aprovada, inclusive no RN.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.
Dia do Trabalho e a disputa pelo Senado
Atualizado: 21:38:21 03/05/2022
Cassiano Arruda Câmara

Depois de mais de 50 anos (desde os tempos do Governo Militar quando a unidade de manifestação era imposta) o ato público pelo Dia do Trabalho em Natal teve, este ano, duas comemorações distintas.

Pela manhã, a maioria das centrais sindicais fez um ato de protesto contra a reforma da CLT, um conjunto de leis criado por Benito Mussolini, na Itália, e copiado por Getúlio Vargas. A CLT, ou a Consolidação das Leis do Trabalho, consiste em um conjunto de regras criado para regulamentar as relações individuais e coletivas de trabalho no Brasil, buscando proteger as partes contratantes, o empregador e o trabalhador, de abusos, violações de direitos e descumprimento de contrato.

A regra que determina o que é CLT é o decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e sancionado pelo então presidente Getúlio Vargas, logo após a criação da Justiça do Trabalho, no ano de 1941, em pleno Estado Novo, apelido dado por Getúlio ao fechamento do Congresso. O Decreto foi responsável por unificar toda a legislação trabalhista pré-existente até aquele momento.

Carta del Lavoro 
Foi com a Carta do Trabalho (Carta del Lavoro), de 1927, que Mussolini conseguiu controlar os sindicatos de operários e manter afastada a possibilidade de insurgência de viés comunista ou anarquista – muito frequentes na Itália no início do século XX. A Carta do Trabalho influenciou não só o Brasil, mas também a Turquia e Portugal.

A Consolidação das Leis do Trabalho foi uma resolução do então ditador Getúlio Vargas durante o Estado Novo, e que gerou os precedentes legais dos direitos trabalhistas e do direito processual do trabalho.

Ela foi uma “necessidade constitucional” gerada pelo nascimento do Ministério da Justiça, que, somado à demanda das lutas operárias por uma estrutura legal de garantia de direitos, fazia necessário elencar em termos jurídicos as bases das relações individuais e coletivas de trabalho.

Mais de 50 anos depois, essa velha legislação não contemplava mais, nem a economia e muito menos as próprias relações do trabalho, além de contribuir para a transformação da maioria dos sindicatos brasileiros em negócios de família. Tudo bancado pelo imposto sindical.

Mudança de cem leis 
A Reforma Trabalhista modificou mais de 100 regras da legislação trabalhista. Assim, houve impactos relevantes para as relações trabalhistas.

Em 2017, foi aprovada essa lei pelo Congresso sob a liderança do deputado Rogério Marinho que ficou conhecida como Pai da Reforma Trabalhista, que trouxe mudanças muito importantes dentro da CLT, com o objetivo de flexibilizar as relações entre empregado e empregador.

A Reforma Trabalhista mexeu nas férias (preservando todos os direitos); instituiu o banco de horas (de comum acordo entre empregados e patrões); acordo trabalhista para demissão, podendo ser  iniciativa de empregados ou empregadores; mudança no aviso prévio; contribuição sindical, tornando opcional o desconto no salário do empregado; criação da interjornada para quem tem expediente superior a 6 horas; pausa de amamentação (para trabalhadoras lactantes); teletrabalho, consagrando o “home office” permitindo o trabalhar atuar fora do ambiente de trabalho; insalubridade de gestantes, com proteção ao empregado evitando que sofra influencias danosas a saúde; e trabalho intermitente, legalizando o chamado “bico” permitindo contrato de empregados que só atuam quando convocados.

Para um respeitado analista, os sindicatos trocam os outros nove itens restantes da Reforma pela volta do imposto sindical obrigatório...

O Pai da Reforma 
No Rio Grande do Norte, desde a campanha eleitoral de 2018, que o movimento sindical sacramentou Rogério Marinho como “o Pai da Reforma Trabalhista” e ampliou nas manifestações do Dia do Trabalho, colocando o assunto na marca do penalty da campanha para Senador.

Basta o ex-prefeito Carlos Eduardo, que disputa o Senado contra Marinho,  assumir essa bandeira, que já apareceu até na pré campanha do ex-presidente Lula prometendo revogar a reforma (sob aplausos dos sindicalistas), para se ter  uma  definição sobre o pensamento dos dois principais candidatos.

Na perda de identidade dos partidos, colocar um fato concreto dessa importância, pode dar ao eleitor do RN a rara oportunidade de definir o seu voto a partir de um julgamento claro.

E o que começa com a Reforma Trabalhista abre espaço para um enorme espectro onde os candidatos podem expor o seu pensamento sobre temas conflitantes, facilitando a escolha do eleitor.

Diferenças dos iguais
A palavra Reforma que sempre teve um lugar de destaque positivo no vocabulário dos sindicalistas em geral, e esquerdistas em particular, pode fazê-los assumir uma posição contrária a esta Reforma.

Certamente que Carlos Eduardo não precisa abrir mão de sua passagem pela Prefeitura de Natal, nem, muito menos Rogério Marinho deixar de apresentar sua passagem pelo Ministério de Desenvolvimento Regional, incluindo o projeto de Transposição das Águas do Rio São Francisco.

Na campanha passada, Carlos Eduardo (candidato a Governador contra Fátima) usou o seu palanque para pedir voto para Jair Bolsonaro. Não que se possa cobrar coerência na política brasileira, sobretudo depois da reforma partidária que está liquidando o que sobrou de partidos políticos no Brasil.

O Dia do Trabalho pode ter deixado um legado capaz de mostrar as diferenças entre políticos de trajetória semelhante; ambos influenciados pela governadora Wilma de Faria, então no PSB, tanto para Carlos Eduardo herdeiro de um nome poderoso assim como Rogério Marinho seu antagonista em 1960.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.


Cassiano Arruda Câmara

Divulgação


 A Intersal, empresa formada pela Intermarítima (73%) do empresário Roberto Zitelmann de Oliva, e Salinor (27%), do empresário José Mandarino, para disputar o leilão do terminal salineiro da Codern, vai assumir a gestão do Porto-ilha de Areia Branca no dia 1º de julho completando a primeira parte do processo de privatização.

No primeiro ano a expectativa da nova empresa é aumentar o embarque de sal de dois milhões para quatro milhões de toneladas de sal.

Petrobrás acaba a produção do petróleo no RN em 2023
Concluindo a venda do chamado “Polo Potiguar”, para a 3R Petroleum, a Petrobrás deve encerrar suas operações de produção de petróleo no RN, no primeiro trimestre do próximo ano, encerrando sua presença nos campos maduros, em terra e em águas rasas na costa potiguar.
A 3R Petroleum fechou a compra desse acervo por um bilhão de dólares. O polo envolve 22 concessões de campos de produção, junto com a estrutura de processamento, refino, logística, armazenamento, transporte e escoamento de petróleo.

Com essa compra, a 3R ficará com cerca de 80% da estrutura montada pela  Petrobras ao longo de 40 anos, somando aos campos de Macau e Areia Branca, um  investimentos de R$ 7.3 bilhões no RN até 2032, em reativação de poços, novas perfurações e infra estrutura.
A 3R destacou que vai manter o funcionamento da Refinaria Clara Camarão, em Guamaré (foto), um dos ativos vendidos pela estatal. No campo de Macau a produção já cresceu 60% depois da privatização.

O foco da 3R é dobrar a produção atual e aumentar a oferta de de postos de emprego em cinco mil.

Produtores de petróleo e gás temem insegurança jurídica
A preocupação maior das empresas produtoras de petróleo e gás no RN é insegurança jurídica. A RADA (taxa específica do IDEMA) pode inviabilizar o negócio para os pequenos produtores. Daí a importância dada ao marco regulatório da produção de gás no RN, que ainda não tem legislação definida.

Divulgação


O encaminhamento da legislação vai bem, obrigado. Mas, ainda não existe. Daí a necessidade, para os produtores que esse assunto seja resolvido o mais rápido possível. Foi isso que ficou claro na discussão do assunto na Assembleia Legislativa, quarta-feira. Por enquanto tá tudo bem, sem problemas, mas é preciso definição. Um negócio desse tamanho não pode ficar dependendo de sua interpretação.

A hora e a vez da produção de limão
As autoridades estaduais de agricultura, acreditam que chegou a hora e vez da produção de limão no Rio Grande do Norte, que dispõe de condições excepcionais de produção. Atualmente existem 16 hectares irrigados para a produção de limão, e alguns técnicos otimistas acreditam que até o fim desta década, como produto de exportação, o limão pode chegar ao nível do melão.

Divulgação


Fila anda e a Velha Guarda fica surpresa
Reação de um antigo militante da esquerda natalense, oriundo do Partidão,  ao saber que a chapa majoritária do PT contará com dois Alves (Valter Alves e Carlos Eduardo), sem digerir a possibilidade de votar em velhos inimigos:
- Alve se quem puder...

Divulgação


Internet bombando se reunirá em Natal
 No último dia deste mês, a Internet do Brasil estará reunida em Natal, no 12º Fórum da Internet do Brasil.
É um evento do Comitê Gestor da Internet no Brasil (FIB 12) que desde 2011 vem se reunindo para discutir os seus problemas para apresenta-los no Forum Mundial.  A Verbo coordena a assessoria local,

Artistas valorizados para os festejos juninos
Depois de dois anos, sem mercado, por conta da pandemia, os artistas regionais estão muito valorizados e sem datas disponíveis nos festejos juninos. Os cachês de 22 artistas que vão se apresentar no Mossoró Cidade Junina, somam R$ 3.670.000,00. O maior deles, de Wesley Safadão, é de R$ 600.000,00. E artista só entra no palco com o dinheiro no bolso.

Divulgação


O alto investimento contratado é indispensável para Mossoró não perder o que já foi investido nas 24 edições anteriores e a festa de Mossoró é reconhecida como uma das maiores da região.

Lei garante espaço para fazer cultura
Sancionada Lei Estadual garantindo a cessão de espaços públicos, destinados à instalação e funcionamento de circos, trupes, associações artísticas itinerantes, garantindo o acesso de seus integrantes às redes de saúde educação e  segurança no Rio Grande do Norte.

Os espaços públicos são todos os ambientes abertos, como ruas, calçadas, praças, jardins ou parques e ambientes fechados, como bibliotecas públicas.

Universitários retomam lançamento de foguetes
Alunos do Atheneu estão programando, para a primeira semana de maio, o lançamento de foguete no Campus Central da UFRN para mostrar o apoio oferecido a escola estadual, idealizado pela Diretoria de Ensino da equipe da Potiguar Rocket Design. A Potiguar Rocket atua no desenvolvimento de foguete de pequeno porte. É um programa que ajuda a disseminar conhecimento sobre a tecnologia aeroespacial.

Com o histórico da Competição Brasileira Universitária de Foguetes em 2018. São usados matérias do uso diário, preferencialmente de reciclagem como é o caso de garrafas pet, como vai aconteceu nesse lançamento no Campus da UFRN.

Produtores reclamam é do custo Rio Grande do Norte
Segundo os produtores de petróleo e gás, que estiveram em Natal, o custo de operar no Rio Grande do Norte é 12 vezes mais alto, quando se compara com a Bahia, por exemplo. Além disso, o tempo gasto é de seis meses no RN contra 45 dias, em média, na Bahia, segundo dirigentes da Potiguar E & P. As conversas, porém, mostraram boa vontade de parte à parte. Mesmo se o custo do botijão de gás fosse de R$ 45,00 lá, contra R$ a 115,00, cá.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.
Cassiano Arruda Câmara

Depois de muita conversa que, depois de atingir um ponto, quando – aparentemente - já não estava levando a lugar nenhum, o maior problema deste momento na cidade do Natal, entra numa nova fase, em busca de uma solução, como foi feito no combate ao coronavírus, responsabilizado pelo agravamento da situação geral, inclusive da mobilidade.

Evidentemente que ninguém pode desconhecer pontos positivos dos debates que cuidaram do assunto nos últimos quatro anos, inclusive como pauta de discussão do Plano Diretor de Natal. E o saldo positivo resultante dos diferentes níveis dos debates haverá de ser reconhecido na hora decisiva da discussão.

Se a busca de um novo modelo de transporte exercitou a criatividade de muitos, com poucas possibilidades de aplicação, esta parte serviu para manter a questão da mobilidade urbana colocada em destaque.

E a manutenção do assunto em alto ponto de interesse pode não ter deixado um caminho para se encontrar a esperada solução na mudança do designer ou configuração dos veículos, terminaram levando a discussão para a verdadeira questão. A questão da mobilidade dos natalenses - um problema de economia. Economia da sociedade natalense.

 SEM SURPRESA
Isso não foi uma descoberta ou mesmo uma surpresa, de uma hora para outra. Na verdade, quem primeiro chamou a atenção para o fator econômico foram os empresários na constatação dos seus próprios números.

Eles tinham índices mostrando que cada aumento no preço da passagem correspondia a uma imediata redução no número de passageiros transportados.

Parte interessada numa rápida solução, os números apresentados pelos empresários eram colocados sob suspeição e os meios de comunicação reagiram dessa forma.

Ocorre que o empobrecimento do usuário de transporte coletivo em Natal (e no resto do Brasil) foi se apresentando cada vez de forma mais eloquente. E não apareceu uma só hipótese que levasse a outra constatação.

Em sete anos, a cidade de Natal perdeu 37% da quantidade de linhas de ônibus que trafegavam dentro do município. Em 2015, a capital potiguar possuía 86 linhas em dias úteis, para uma frota de 646 ônibus. Atualmente, são 54 linhas e uma frota de 396 ônibus. Existe uma perda de passageiros, sem condições de pagar os aumentos nesses últimos anos.

VOZ DA AUTORIDADE
Criador do sistema de transporte coletivo em Natal, o engenheiro Carlos Batinga começou defendendo uma verdade tarifária que consolidou o sistema. O usuário é que tinha de custear o sistema.

Agora, 40 anos depois, numa entrevista a esta Tribuna do Norte, Batinga aborda o assunto de forma direta: “Não existe transporte público, de razoável a bom, em nenhum lugar do mundo pago apenas pelos usuários.”

Carlos Batinga critica o atual modelo e considera um erro o transporte público coletivo não ser considerado um serviço essencial pelo poder público municipal, como acontece com a saúde, segurança e educação.

Para Batinga o transporte de Natal está muito atrás de outras capitais nordestinas. Sendo um estudioso do assunto afirma não vislumbrar melhoria sem contribuição financeira do município.

Além disso, culpa a falta de sequência ao trabalho iniciado no seu tempo e a influência política num trabalho técnico. Isso provocou a perda do perfil da equipe técnica, mantido desde o começo.

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA
O reconhecimento de uma situação de emergência sensibilizou o Prefeito de Natal, Álvaro Dias, que já encaminhou um projeto abrindo mão de receita do Município. O projeto do Executivo foi encaminhado a Câmara Municipal isentando as empresas concessionárias, na semana passada para livrar, no corrente ano, o pagamento do ISS. Projeto que está tramitando na burocracia legislativa.

Projeto que concede “isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza” às concessionárias e permissionárias do transporte público coletivo municipal.

Além de fazer a sua parte, o prefeito Álvaro Dias, também apelou a governadora Fátima Bezerra, para que o Estado abra mão do ICMS sobre o combustível dos veículos como já aconteceu em 2021 nessa emergência.

Especialistas na matéria afirmam que o sistema de transporte de Natal está vivendo uma “crise histórica” e que impõe a tomada de providências imediatas de forma sistêmica e emergencial, com reforço da tese de que o serviço de transporte é um serviço essencial, e como tal precisa ser tratado.

CONSCIÊNCIA DA CRISE
O consenso das partes interessadas na visão do problema e o aval dos mais qualificados na matéria precisa impor uma dupla consciência no exame da matéria:
1 – A transitoriedade das providências emergenciais já anunciadas;
2 – A busca de uma solução definitiva.

Boa parte da discussão da matéria apresentava a realização de nova concorrência para concessão do serviço. Aí, lembrando o imortal Garrincha na Copa do Mundo de 1958 para o treinador Vicente Feola, “faltou combinar com os russos”.

A lei da oferta e da procura quebrou a eficácia do remédio da concorrência pela perda de algum efeito. As últimas concorrências deram “desertas”. Ou seja, não existia mais ninguém interessado em disputar a concessão. Essas últimas providências devem ter servido para demonstrar que o serviço de transporte não é mais o melhor negócio do mundo, como chegou a ser apresentado,
Lembrando que as parte não podem se colocar como adversárias, e que na base de tudo é necessário que se restabeleça a confiança. Confiança mútua.

Em tempo: o Sistema Intermunicipal de Transportes do RN já acabou. Empresas sumiram e o serviço é dos “loteiros”, motoristas de carros de aluguel que prestam o serviço sem regulamento, na maior informalidade. Será que esse também é o destino do transporte de massa nas grandes cidades?

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.
O projeto de crescimento econômico do RN, que tem como pontos básicos a energia eólica e solar, tem um poderoso inimigo: a candidata da extrema direita a presidência da França, Marine Le Pen, do partido Ressemblement National, de extrema direita.

Reprodução


“Eólica e solar, estas energias não são renováveis, são intermitentes. Se eu for eleita, porei um fim a toda construção de novos parques eólicos e lançarei um grande projeto para desmantelar os existentes”, declarou Le Pen.

A candidata acrescentou que suprimirá os subsídios para a energia eólica e solar, que acenderiam a seis ou sete milhões de euros por ano e colocariam um pesado fardo nas contas de eletricidade dos consumidores.

Os franceses tinham presença tranquila no RN, nos séculos XVI e XVII. Da presença deles ficou o nome de um dos mais belos recantos do Potengi, chamado “Nau de Refoles”, do corsário Jean Jacques Rifaux, que ali construiu sua fortificação. Hoje é a Base Naval de Natal.

A política externa francesa virou piada, com a “Guerra da Lagosta” nos anos 1961/1963, com o Brasil que proibiu pescadores franceses virem aprisionar lagosta no nosso litoral. Entre mortos e feridos, escaparam todos.

Instituto comemora o Dia da Costureira
Este ano, comemorando o seu primeiro aniversário, o Instituto Riachuelo vai festejar o Dia da Costureira, 7 de Maio.

A programação festiva será concentrada no Teatro Riachuelo, com a realização de um show de Adonis e banda.

Gráfica entrega primeira edição do livro de Brito
Já foi entregue ao autor, Manoel de Brito, pela Gráfica Diplomata, todos os exemplares da primeira edição do seu livro “Tempos Marcantes”, memórias de quem viveu de perto a vida política do RN nos últimos 50 anos e um canto de amor a sua cidade, Jardim do Seridó.

Reprodução


Com 604 páginas, o livro será lançado em maio, em Natal, Jardim do Seridó e Mossoró.

Meta dos Independentes: produzir cem mil barris de petróleo no RN
No encontro de Salvador os produtores independes de petróleo no RN, que eram 20, estavam reduzidos a seis, fruto das naturais acomodações do mercado.

O grupo mostrou-se satisfeito com o momento vivido, e faz projeção de produzir, já no próximo ano, 100 mil barris de petróleo/dia, recuperando a posição do RN de segundo maior produtor do Brasil, quando a Petrobras atuava aqui com força total.

Cores, o odor e beleza a serviço do Legislativo
São elementos que não figuram nas leis mas são mantidos por uma tradição centenária: os arranjos, botões, buquets e coroas de flores naturais, destinados ao atendimento de homenagens em solenidades realizadas na Assembleia Legislativa.

Dia 25 de abril, amanhã, a Assembleia Legislativa realiza um leilão virtual para a contratação desses serviços, numa sessão pública, às 9hs, da segunda-feira.

Veterano quebra o recorde e dá vitória do Fluminense
Aos 38 anos, o centro-avente Fred, quebrou um recorde e garantiu a vitória do Fluminense, terça-feira, diante do Vila Nova de Goiás, no Maracanã.

Reprodução


Foi o 37º do gol de Fred em jogos da Taça Brasil, (o primeiro do ano), ultrapassando Romário, como maior artilheiro isolado daquela competição.

Federal volta a promover Aula Magna do semestre
Voltando à normalidade, depois da pandemia, a UFRN vai promover quinta-feira, no auditório da Reitoria, a Aula Magna do período 2022.1, que será proferida pelo professor José Neander Silva Abreu, da UFBa.

Reprodução


Psicólogo e especialista em Neuropsicologia, Neander de Abreu irá promover uma conversa sobre como a neurociência contribuem para a compreensão e o aprimoramento das habilidades emocionais, tanto do ponto d vista pessoal quando profissional. A TV-U transmitirá a solenidade, que poderá ser ser desfrutada de forma presencial.

Reconhecimento do Geoparque do Seridó facilita investimentos
O selo concedido pelo Conselho Executivo da Unesco reconhecendo o patrimônio geológico de importância internacional, do Parque Geológico do Seridó, em Caicó, segundo especialistas, tem potencial de atrair investimentos de pesquisa e conservação, e chamar a atenção de estudiosos e visitantes, além de facilitar o ingresso de em editais internacionais.

O Geoparque Seridó, tem 2.800 km2 e está no semiárido nordestino. O local abriga uma das maiores servas minerais de scheelita da América do Sul, além de fluxos de basalto da atividade vulcânica durante as Eras Mezoica e Cenozoica. A região tem biodiversidade única, marcada sobretudo pela caatinga.

Até então, era reconhecido pela Unesco, apenas o geoparque do Araripe, no Ceará, com uma área de 3.441 km2, no Ceará, Piauí e Pernambuco e reconhecido geoparque global em 2025.

Universitários de Caicó vão debater a Ditadura Militar
O Seridó potiguar está partindo para estudar a “História e Memória da Ditadura Militar: repressão e resistência no Rio Grande do Norte, no Seridó do Brasil (1964-1988).”

Este é o tema do primeiro simpósio nacional realizado pelo Programa de Pós Graduação em História do Centro de Ensino Superior do Seridó.
O evento, aberto ao público, será realizado entre 3 e 4 de maio, no CERES, em Caicó.

Estado prorroga Nota Potiguar mais um ano
O programa Nota Potiguar de apoio do Governo do Estado ao esporte, foi prorrogado por mais uma temporada. Sua vigência fica até o dia 31 de dezembro deste ano.A ação do Governo do Estado tem sido executada pela Secretaria de Tributação em colaboração com a Emproturn, permitindo ao torcedor interagir com o seu clube e ainda concorra a prêmios.

O Governo anunciou a ampliação da campanha Nota Potiguar Veste o Torcedor do RN, que adquire produtos esportivos – entre ingressos, camisas e outros itens – dos clubes de futebol potiguares, participantes do Campeonato Brasileiro de Futebol, para serem distribuídos entre os usuários do aplicativo Nota Potiguar. Serão aplicados R$ 2 milhões, que serão revertidos para os times. A ampliação se dá em função da participação de três clubes do Rio Grande do Norte na maior competição da modalidade no país. A torcedora Fátima Bezerra comemorou o campeonato do ABC, na arquibancada do Frasqueirão..

Odontologia inscreve idosos para voluntários
O Programa em Ciências Odontológicas do Centro de Ciências da Saúde abriu inscrição para residentes em Natal , na faixa etária de 24 a 59 anos, de idade para serem voluntários numa pesquisa que que está sendo realizada.

O objetivo da pesquisa é avaliar e compreender o conhecimento, a preferência e necessidade de atendimento odontológico domiciliar sobretudo da população idosa. A pesquisa é conduzida pela pesquisadora Natália Cristina.
Cassiano Arruda Câmara

Natal está assistindo, passivamente, a lenta e gradual destruição do seu sistema de transportes coletivos, que já foi apresentado (até bem pouco tempo), como uma história de sucesso e um patrimônio da cidade que deveria ser preservado.

Este, não se trata da adaptação de um modelo que tenha sido testado e implantado em outras cidades, mas de uma experiência que foi sendo desenvolvida ao longo de mais de vinte anos, enquanto o sistema era criado e implantado.

Natal tinha 100 mil habitantes, nos anos 60, quando a história começou com a chegada de duas dezenas de “lotações” já rodadas (no Rio de Janeiro), muitas delas de propriedade dos seus motoristas que chegaram aqui com muito sonho e pouco capital, e as incipientes empresas existentes (donas da concessão do seu serviço, de péssima qualidade) não demonstravam condições mínimas de continuar.

O poder público chegou junto, com uma equipe de jovens técnicos, comandada pelo engenheiro paraibano Carlos Batinga, que partiu do zero, com a ideia de criar algum tipo de regulamento e a vontade de fazer um estudo técnico do problema e das soluções. Foi o começo.

MOBILIDADE
A mobilidade urbana ainda não era um grande problema. Os extremos da cidade eram a rua Mário Negócio, nas Quintas, e a “corrente” onde existe atualmente o Midway Mall, e na outra ponta o rio e o mar...

O crescimento da cidade foi chegando e a mobilidade urbana foi se transformando num problema que não parou de crescer.

Até chegar a ser o maior problema de Natal, quando os conjuntos habitacionais (do BNH) puxaram o crescimento da cidade em todas as direções e já existia o arcabouço de um sistema estava sendo montado, oferecendo uma pronta resposta as demandas de mobilidade que iam aparecendo.

O tal sistema foi se estruturando, sem a chegada de nenhuma grande empresa com tradição no transporte urbano de passageiros em canto nenhum ou a importação de um modelo pronto e acabado.

Algumas daquelas “lotações” vindas do Rio de Janeiro haviam se transformado em verdadeiras empresas e umas cinco ou seis delas começaram a atender a demanda ainda modesta.

CURITIBA NA FRENTE
Em Curitiba, o prefeito Jaime Lerner, um urbanista de mão cheia, era um exemplo para todo o Brasil, em matéria de mobilidade urbana. E o exemplo de Natal começava a ser destacado.

Para se proteger, muitos dos empresários de empresas de ônibus. começaram a se transformar em pessoas famosas pela luta desenvolvida, sobretudo no legislativo municipal. Tinha até uma bancada do Seturn na Câmara Municipal...

Alguns deles, direta ou através de testas de ferro, entraram na política partidária. Não bastava oferecer um bom serviço...
As empresas se valorizaram e empresários de fora começaram a chegar trazendo capital financeiro e know-how.

O transporte coletivo tornou-se assunto de destaque nos discursos políticos, e os problemas foram se avolumando. Um deles o empobrecimento do passageiro, usuário do sistema.

A diminuição do número de passageiros transportados começou a se acentuar, mas o grande público tinha dificuldade para entender essa equação. A questão da mobilidade cada vez ocupava mais espaço na mídia. E uma tribo especializada conquistava o seu lugar, além dos ocupantes de cargos municipais e dos empresários; os especialistas, consultores, técnicos em geral forneciam o conteúdo de mídia a ser consumido, sem falar nos políticos.

UM BOM NEGÓCIO
Os negócios de transporte coletivo de Natal, estavam bombando, mas não se conseguia realizar novas concorrência de concessão. Lá se vão quase trinta anos, e o sistema acrescentou um novo custo: a judicialização. Até a manutenção ou mudança de determinada linha se conseguia por via judicial (e isso continua até hoje).

Agora mesmo com a devolução de algumas linhas, a Justiça está definindo itinerários de ônibus. É o caso do Sindicato dos Permissionários de Transporte Opcional que é candidato a operar linhas devolvidas por terem “custos menores para manter opcionais podem tornar itinerários rentáveis”.

Isso com a entrada do Plano Diretor como órgão máximo de regulação do sistema, cumprindo suas próprias revisões periódicas. Agora, a discussão foi aberta há seis anos. Discutiu-se o tipo de transporte ideal; inovações nos veículos, indo ao detalhe da cor das cortinas de lona (azul escuro) dos veículos. Isso tudo sem levar em conta o custo. Se fossem adotadas todas as sugestões apresentadas o preço da passagem teria de dobrar, ou triplicar.

RIMA SEM SOLUÇÃO
E o objetivo final não foi alcançado: - a realização de nova concorrência para a concessão do serviço e sua estruturação.
As últimas tentativas de concorrência deram “desertas”. Ninguém se mostrou interessado nas concessões oferecidas.

Mesmo quando existia um sistema definido e inquestionável os sinais de que havia interesse nas concessões não apareceram.  E não apareceu uma só proposta merecedora de crédito para tentar salvá-lo.

Ao contrário do que muitos ainda pensam, a concessão municipal para transporte de passageiros em Natal deixou de ser a última Coca Cola do deserto. As empresas atuais se mostram cansadas. E quem apareceu (os alternativos) mostram como grande argumento os seus custos menores, como seja possível melhorar serviço reduzindo custos auditados.

As empresas que resistem, pouco guardam do seu perfil original e os seus donos preservam um comportamento discretíssimo, sobretudo depois do exemplo do lavajatismo em outras praças. O que fazer?
- Começar de novo?

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.
Futuro do Aeroporto continua indefinido
Atualizado: 16:51:00 16/04/2022
Cassiano Arruda Câmara

A relicitação do Aeroporto de São Gonçalo (Aeroporto Internacional Aluízio Alves) não superou os obstáculos do Tribunal de Contas da União e o seu futuro continua indefinido. A modelagem do leilão está em análise pelo TCU há quatro meses.
Reprodução


A Inframérica, grupo argentino que arrematou a concessão, há mais de dez anos (o primeiro privatizado no Brasil), e o primeiro a devolver a concessão, em 2020. A estimativa de arrecadação do novo leilão não cobre o investimento feito pela Inframérica: R$ 500 milhões, segundo técnicos do Governo. O ágio previsto na relicitação é de R$ 250 milhões.

O TCU não concorda com o uso do Orçamento para indenizar a empresa e as conversas não têm evoluído para um acordo.

A Inframérica considera importante a celeridade no processo de transição para o novo operador, a fim de não prejudicar os passageiros. A situação da concessão do Aeroporto de Viracopos é semelhante a de São Gonçalo.

“Onshore week” abre espaço para a discussão dos novos negócios
As mudanças observadas no ambiente de trabalho onshore, provocam agentes públicos e privados a realizarem um encontro, na  Bahia, para atender a esse público interessado em formatar uma agenda de trabalho com prioridades para 2022.
Reprodução


Vamos abordar os resultados do 3º Ciclo de Licitação de Ofertas Permanentes, sob o regime de concessão, que terá a sua sessão pública realizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis e oferece não só as áreas devolvidas, mas também novas áreas exploratórias ampliando a inserção de novos agentes, disse um dirigente do evento.

O Secretário de Desenvolvimento, Silvio Torquato, vai participar do certame, com integrantes da equipe governamental que cuida do assunto, assim como uma equipe do projeto “RN Mais”, da Federação das Indústrias.

Na próxima quarta-feira, a Assembleia Legislativa promove uma audiência pública para tratar de um dos principais assuntos, discutidos no encontro, a nova lei do gás; o assunto de maior interesse imediato para o RN.

Valor Econômico admite vitória de Fátima por WO
“Se as eleições fossem hoje, a governador Fátima Bezerra (PT) poderia ser reeleita no Rio Grande do Norte por WO. As lideranças de oposição estão batendo cabeça para montar uma chapa competitiva para enfrentar a governadora.”

Foi com essas palavras que o jornal “Valor Econômico” retratou a situação política do RN nessa pré campanha eleitoral.

Segundo o “Valor”, a petista faz um mandato popular, mesmo sem grandes obras. A gestão foi marcada pela paz com os sindicatos no Estado, com quem seu antecessor, o ex-governador Robinson Faria (PL), pai de Fábio Faria teve uma relação conflituosa.

Diplomata potiguar partiu para a sua primeira missão
Pedro Vale de Arruda Câmara, da turma concluinte do Instituto Rio Branco (de Formação de Diplomatas) em 2018, embarcou essa semana para a sua primeira missão oficial no exterior, na Índia.

Ele será um dos palestrantes no “The Brazilian energy mix: Leading the Renewable Transition”, realizado dentro da programação do bicentenário da Independência do Brasil. Pedro Vale vai apresentar o programa brasileiro de geração de energia limpa (“hidro and solar energy”), e retorna ao Brasil na sexta-feira, dia 29.

Calendário retarda início do Programa Trilhas Potiguares 
O programa Trilhas Potiguares, uma das melhores experiencias em matéria de extensão universitária, vai sofrer um pequeno atraso, este ano. Em vez de começar em meados de julho, ficou para o fim do mês, em razão o novo Calendário Acadêmico.
Reprodução


Trilhas Potiguares, é um programa vinculado a Pró-Reitoria de Extensão, da UFRN,  e está na fase de chamada pública do municípios e definição da ação coletiva de projetos a serem implementados. De qualquer forma algumas ações estão sendo desenvolvidas com vistas ao campo e cumprir uma agenda de reuniões.

Fátima vai entregar lotes do Baixo Assu próxima semana

Reprodução

O pessoal da Secretaria da Agricultura está trabalhando no cumprimento do processo burocrático para permitir que, na próxima semana, seja feita a entrega dos últimos lotes empresariais, complementando o projeto Baixo Assu, que se arrasta há 30 anos.

A missão estabelecida pela Governadora foi dar sequência para concluir o projeto ainda este ano, o que era um sonho dos ruralistas da região.
Prefeitura contratou a engorda de Ponta Negra.

A Prefeitura de Natal firmou um contrato de R$ 23 milhões para a obra de contenção costeira na Praia de Ponta Negra, a chamada “engorda”, aumentando a área para os banhistas.
O prazo para a execução da obra é de 300 dias. Um dos problemas que a Prefeitura vem enfrentando nos investimentos feitos na orla é pouca durabilidade dos serviços feitos, como aconteceu no último verão.
Reprodução


A chamada engorda da praia de Ponta Negra vai deixar a faixa de areia em 100 metros quando a maré estiver seca e 30 metros quando estiver cheia. A intervenção acontecerá da área do Morro do Careca e se estenderá até às imediações do Hotel Serhs. A complementação do enrocamento, protegendo a zona costeira, partindo do final do calçadão até um pouco depois do Serhs, também será realizada.

Calado reúne os amigos e confirma a candidatura
O ex-secretário Jaime Calado fez uma movimentação, quarta-feira, em São Gonçalo do Amarante, para confirmar a sua candidatura a Deputado Federal pelo partido Republicanos, com apoio do prefeito.

Calado era filiado ao Prós, legenda que continua com a senadora Zenaide Maia. O prefeito Paulo Emídio Medeiros, Paulinho, reafirmou seu apoio a candidatura de Calado, um antigo compromisso firmado na praça pública.

Combate a degradação da Ribeira começa pelas fachadas destruídas 
Quando se fala na “Revitalização da Ribeira” pouco se tem falado na degradação daquele bairro, que nos anos ´40 concentrava o melhor de Natal, comércio, bancos, repartições públicas, hotéis e restaurantes.

Natal cresceu em direção à Cidade Alta e aos novos bairros do Tirol Petrópolis e o velho bairro foi sendo abandonado. Mesmo dotado de toda a infra-estrutura urbana (saneamento, abastecimento d´àgua, energia, drenagem e sistema de transporte) cada empresa que deixava a Ribeira não tinha substituição.

E chegou-se a atual situação, com um número de edifícios abandonados/desocupados maior do que os que foram abandonados e entregues à própria sorte, sem um mínimo de manutenção.

Uma concorrência, no valor de R$ 104 mil, foi realizada para recompor as fachadas dos velhos prédios e casarões, ou mesmo oferecer uma pintura básica. O início das obras não foi definido..

Energia solar de fundo de quintal é igual a de Itaipu
Ainda em setembro, a capacidade de geração de energia solar, no Brasil, deve alcançar a capacidade total igual a usina de Itaipu, cantada em prosa e verso, com uma das maiores do mudo.

Para atingir essa marca, segundo projeções da Absolar, a potencia dos sistemas instalados em telhados, fachadas, fundo de quintal, e pequenos terrenos deve chegar a 14 gigawatts, o que acontecerá em setembro, segundo esses estudos.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.