Samu se recusa a socorrer advogado baleado por não haver polícia no local; ouça

2017-08-18 13:06:00
A+ A-

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) se recusou a ir até o local onde estava baleado o advogado Rodrigo Paiva, de 37 anos, no sábado (12), porque não havia polícia no local. Um áudio do chamado de uma mulher ao socorro médico circulou pelas redes sociais e mostrou o momento em que o funcionário público, de forma ríspida, disse que a mulher entrasse em contato primeiramente com a polícia, para que pudesse encaminhar ambulância. O advogado havia sido baleado no tórax e teve fígado, estômago e pulmão perfurados.

Outros vídeos